Líder PSD/Açores diz que sempre defendeu o mesmo para a RTP regional

Líder PSD/Açores diz que sempre defendeu o mesmo para a RTP regional

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Nov de 2013, 18:21

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, assegurou hoje que sempre defendeu o mesmo para o serviço público de rádio e televisão na região, numa resposta a críticas do presidente do Governo Regional, o socialista Vasco Cordeiro.

"O PSD/Açores defende aquilo que sempre defendeu: uma empresa forte, tecnologicamente dotada, que respeite as obrigações constitucionais do Estado mas que permita igualmente, e ao contrário do que aconteceu até hoje, que a Região tenha um papel ativo na sua administração", diz Duarte Freitas, num comunicado enviado à comunicação social.

Já o PS/Açores, prossegue Duarte Freitas, "quando o Governo da República não é socialista acredita que é possível ter um canal de televisão com poder de decisão regional totalmente pago pela República" e "quando na República o Governo foi socialista nunca se ouviu essa exigência, muito pelo contrário, o que aconteceu foram anos de silêncio cúmplice para com o esvaziamento da RTP/Açores".

O presidente do PSD/Açores reitera ainda as críticas que tem feito à "postura muito condenável que o Governo Regional tem vindo a ter para com os partidos da oposição sobre este assunto".

"O Governo Regional socialista, por interesse próprio, sempre escondeu do parlamento açoriano as negociações que tem desenvolvido com a República a propósito do serviço público de televisão nos Açores", escreve Duarte Freitas.

O social-democrata insiste também na disponibilidade do PSD/Açores "para dialogar com todos os partidos na procura de soluções que ajudem os açorianos".

Duarte Freitas defendeu na quinta-feira que o serviço público de rádio e televisão no arquipélago deve ser prestado por uma "entidade regional" com 51% de capitais da República e apelou a um consenso na região em relação ao futuro da RTP/Açores.

Hoje, questionado sobre esta proposta, Vasco Cordeiro respondeu que o "centro de decisão" da RTP/Açores deve estar na região.

"Devo confessar que até ontem [quinta-feira] pensava que já existia um consenso na nossa região e que esse consenso regional era o de ter nos Açores o centro de decisão da RTP/Açores. Com esta proposta que ontem surgiu da parte do PSD, obviamente que esse consenso é rompido", disse, sublinhando que a proposta de Duarte Freitas é que o serviço público de rádio e televisão nos Açores seja assegurado por uma "entidade regional" com 51% de capitais da República e 49% da região.

"Não existir este centro de decisão nos Açores é uma das razões pelas quais a RTP e a RDP Açores têm enfrentado tantos problemas ao longo dos últimos anos. Esta questão, julgava eu, era absolutamente central e havia um consenso regional sobre essa matéria", afirmou.

Vasco Cordeiro disse, ainda, que a proposta do PSD é "uma cópia daquilo que o Conselho de Administração da RTP apresentou ao Governo Regional" e "o ressuscitar de uma proposta que em tempos o ministro Morais Sarmento já havia apresentado ao Governo Regional".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.