Içado sinal 8, super tufão Mangkhut a 430 quilómetros de Macau

Içado sinal 8, super tufão Mangkhut a 430 quilómetros de Macau

 

LUSA/AO online   Internacional   15 de Set de 2018, 19:00

O sinal 8 foi içado às 02:00 de domingo (19:00 de sábado em Lisboa), quando o super tufão Mangkhut se encontra a 430 quilómetros de Macau, anunciaram as autoridades.

A tempestade tropical, que causou pelos menos 12 mortos nas Filipinas e um em Taiwan, encontra-se a sudeste de Macau e continua a dirigir-se para a costa oeste da província de Guangdong, no sul da China.

Em comunicado, os Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) de Macau advertiram que, a partir de agora, o vento vai intensificar-se.

O aviso de inundações "storm surge" (maré de tempestade) vermelho continua em vigor desde as 21:00 de sábado, indicaram os SMG.

O sinal 8 de tempestade tropical implica o encerramento de parques de estacionamento, das pontes entre a península de Macau e a Taipa, e à suspensão dos transportes públicos e das ligações marítimas e aéreas.

Os postos fronteiriços das Portas do Cerco, do Cotai e do Parque Industrial Transfronteiriço foram também encerrados.

Em conferência de imprensa, no sábado, o diretor dos SMG, Raymond Tam, afirmou que "o supertufão Mangkhut estará mais próximo de Macau pelas 12:00 de domingo e na altura será içado o sinal 10", o máximo na escala de tempestades tropicais, composta pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10.

O sinal 10 poderá permanecer içado entre as 12:00 e as 18:00 e, tendo em conta as últimas estimativas, o nível de maré poderá atingir aproximadamente os cinco metros, durante o mesmo período, indicou.

O responsável acrescentou esperar, segundo as previsões, "inundações mais prolongadas relativamente ao tufão passado", numa referência ao Hato, cuja passagem por Macau, em 23 de agosto de 2017, deixou 29% da área total da cidade inundada, originando cortes no fornecimento de água e de eletricidade.

Além da emissão do aviso vermelho de "storm surge", o Comando de Operações da Proteção Civil de Macau ativou na mesma altura o plano de evacuação das zonas baixas da cidade.

Cerca de 400 pessoas recorreram já aos 16 centros de acolhimento disponibilizados pelo Governo, com capacidade para receber um total de 24 mil.

Durante a passagem do tufão Hato, considerado o pior em mais de 50 anos, dez pessoas morreram, mais de 240 ficaram feridas e os prejuízos em habitações, veículos, estabelecimentos comerciais, equipamentos e instalações municipais e também o impacto no volume de negócios das empresas foram avaliados em 1,3 mil milhões de euros.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.