Greve dos enfermeiros com adesão na ordem dos 70% nos Açores

Greve dos enfermeiros com adesão na ordem dos 70% nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jun de 2018, 16:10

A greve dos enfermeiros está a registar nos Açores uma adesão na ordem dos 70%, segundo o sindicato, mas a tutela garante que a paralisação se situa na ordem dos 38% no Serviço Regional de Saúde.

"No turno da manhã, a média dos três hospitais é de 73% e de 64% nos centros de saúde", adiantou à Lusa o coordenador do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses nos Açores, Francisco Branco, acrescentando que a paralisação originou "o cancelamento de tratamentos, enquanto nos blocos operatórios só estão asseguradas cirurgias com caráter urgente".

"Nos blocos operatórios a informação que tenho é que só estão a ser asseguradas cirurgias de caráter urgente e tudo o que é programado foi e está a ser adiado", disse.

Francisco Branco salientou que apesar da greve ser convocada no contexto nacional com "questões que decorrem de decisões do Governo central", mas nos Açores "há em particular a questão das 35 horas para os enfermeiros que estão nos hospitais em contrato individual de trabalho", apesar de se manifestar expectante para alcançar um acordo com a tutela na região.

"Ainda não temos um acordo firmado para a região, embora estejamos no bom caminho na construção deste acordo, porque temos uma última proposta que chegou no dia 19", explicou.

À espera do autocarro perto do Centro de Saúde de Ponta Delgada, o maior dos Açores, o utente Claudino Teixeira lamentou não ter feito tratamento por causa da greve.

“Dei o nome, mas fui informado que nenhum enfermeiro estava a trabalhar”, disse à reportagem da Lusa.

Já a utente Maria Antónia desconhecia que esta quinta-feira os enfermeiros estavam em greve, mas foi confrontada com o cancelamento de um tratamento de enfermagem que tinha programado para hoje.

À saída do Hospital de Ponta Delgada o utente Vítor Ponte garantiu ter sido atendido na consulta de reavaliação que tinha agendada, enquanto a utente Maria Furtado garantiu também ter realizado análises na maior unidade de saúde açoriana.

Fonte da secretária regional da Saúde indicou que a greve está a registar no Serviço regional de saúde uma adesão na ordem dos 38%.

"Nos Hospitais a paralisação situa-se nos 40% de Centros de saúde é de 35%", informou.

A greve convocada pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses reivindica a contratação de mais enfermeiros para compensar a passagem do regime de 40 para 35 horas semanais a partir de 01 de julho.

A estrutura afirma também que há uma falta de enfermeiros, alegando que esta carência tem a ver com "o desinvestimento e os cortes na área da saúde" no país.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.