Açoriano Oriental
Governo dos Açores garante que haverá reforço de verbas para IPSS em 2021

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, garantiu que haverá um reforço de verbas para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) em 2021, sem avançar valores.

Governo dos Açores garante que haverá reforço de verbas para IPSS em 2021

Autor: Lusa/AO Online

“Haverá de certeza um reforço para estas instituições, por várias questões, mas sobretudo pela questão da pandemia que ainda vai existir até maio, junho ou julho. Ela vai sempre existir, mas ainda vão precisar de muita ajuda e de muita colaboração na parte das EPIS [equipamento de proteção individual]”, adiantou Artur Lima.

O governante falava, em declarações aos jornalistas, em Angra do Heroísmo, à margem de uma visita à Irmandade de Nossa Senhora do Livramento, que acolhe 60 crianças e adolescentes de várias ilhas dos Açores.

O novo Governo Regional, da coligação PSD, CDS-PP e PPM, tomou posse no dia 24 de novembro de 2020 e o Plano e Orçamento para 2021 só deverão ser discutidos na Assembleia Legislativa da Região em março.

Artur Lima não se comprometeu com valores, mas disse que haverá um reforço dos apoios existentes para a aquisição de equipamentos de proteção individual, devido à pandemia de covid-19, e para “qualificar” os jovens que passam pelas instituições, para que possam “ser inseridos no mercado de trabalho”.

“Temos esperança que da União Europeia venha um reforço de verbas para estas instituições, um reforço de verbas para o apoio à infância e um reforço de verbas para o combate à pobreza”, acrescentou.

Segundo o vice-presidente, o novo executivo açoriano quer “uma colaboração muito leal, muito franca e muito direta com estas instituições” e pretende “descentralizar com responsabilidade”.

“O Governo não quer fazer, quer ajudar a fazer e ajudar a fazer é ajudar estas instituições que estão no terreno, que lidam com os problemas no dia a dia, que têm técnicos muito qualificados. E podemos apoiar quer a nível financeiro, quer a nível técnico, para que possam ter recursos humanos para isso”, salientou.

Por sua vez, o presidente da direção da instituição, João Avelar, disse ter ficado satisfeito “com as perspetivas que foram criadas" na reunião.

“Fiquei muito satisfeito com esta reunião com o senhor vice-presidente, que, de facto, abriu aqui portas e horizontes para que continuemos a ter cada vez um melhor desenvolvimento destas instituições”, frisou.

Atualmente, a instituição acolhe 60 crianças e jovens, tendo capacidade para receber até 70 com o atual corpo técnico e número de funcionários.

Segundo João Avelar, as adoções aumentaram na última década, mas, se houver necessidade, a instituição pode reforçar as vagas existentes para acolher crianças.

“Se for preciso, e caso o Governo entenda, temos capacidade física para aumentar”, salientou.

O presidente da direção da Irmandade de Nossa Senhora do Livramento apelou ainda a uma maior colaboração da sociedade com estas instituições.

“Nós não temos receitas próprias. Dependemos efetivamente do que o Governo nos possa dar e não só. Temos uma responsabilidade de mobilizar a sociedade para que a sociedade possa perceber porque é que existem estas instituições”, afirmou.


PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.