Governo diz que abate de plátanos não constitui atentado ambiental


 

Lusa/AO online   Regional   21 de Nov de 2011, 17:21

O anunciado corte de 150 plátanos no concelho da Povoação, em S. Miguel, Açores, "não constitui nenhum atentado ambiental", já que esta espécie de árvore "não é classificada", afirmou fonte da Secretaria Regional do Ambiente.
"A legislação ambiental só protege as espécies classificadas ou as que se encontram em zona classificada, o que também não é o caso", explicou a fonte, salientando que o abate de 150 plátanos para permitir a pavimentação de uma estrada na Povoação não carece de nenhuma autorização especial.

A fonte do executivo regional, que reagia à posição do PSD/Açores sobre o abate daquelas árvores, todas com mais de meio século, acrescentou que a legislação ambiental em vigor não protege este tipo de árvores, que integram o lote de árvores plantadas e, portanto, não endémicas da região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.