Festival Walk & Talk arranca na sexta-feira nos Açores e celebra oito anos com casa nova

Festival Walk & Talk arranca na sexta-feira nos Açores e celebra oito anos com casa nova

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Jun de 2018, 15:11

O festival de arte urbana Walk&Talk começa na sexta-feira e reúne, até dia 1 de julho, mais de 70 artistas na ilha de São Miguel, do centro de Ponta Delgada à Lagoa das Furnas, na sua oitava edição.


A oitava edição do Walk&Talk tem a cerimónia no novo Pavilhão do festival a ser um dos pontos altos, diz nota da organização divulgada hoje, assinalando que a edição deste ano conta com a apresentação de trabalhos "inéditos em vários locais de São Miguel".

A oitava edição do evento, que incentiva a criação artística, conta com a participação de mais de 70 artistas, curadores e coletivos no circuito da arte pública, residências, exposições e outras iniciativas.

No fim de semana de abertura serão inauguradas quatro exposições e o público poderá assistir a 'performances', teatro, apresentações e concertos, "numa dinâmica que se manterá constante durante o festival", acrescenta a organização, cuja edição deste ano conta com "um programa reforçado no acolhimento de projetos musicais, apresentação de dois espectáculos em estreia e novas atividades como jantares e 'brunch' temáticos, que convidam o público a coabitar a casa nova" do evento.

De carácter experimental e participativo, em 2018 o Festival Walk&Talk volta a motivar um programa que propõe "novas centralidades para a produção artística contemporânea, promove a criação de objetos inéditos em diálogo com a geografia e as culturas locais, pulveriza espaços e comunidades através das artes", sublinha ainda a organização.

A primeira edição do festival realizou-se em 2011, em São Miguel, e em 2016 o certamente alargou-se à ilha Terceira.

De acordo com a organização, as sete edições já acolheram mais de duas centenas de artistas, dando forma a um circuito de arte pública que "atualmente é formado por cerca de 70 intervenções, de caráter mais ou menos efémero, mapeadas e visitáveis todo o ano entre as duas ilhas do arquipélago".

Além do festival, o Walk&Talk tem como objetivo ser "uma plataforma que incentiva a criação artística em diálogo permanente com o território, as culturas e comunidades açorianas", potenciando o intercâmbio e a cocriação artística, "gerada a partir dos Açores e partilhada com o mundo".

O festival é membro da EFFE – Europe for Festivals Festivals for Europe, e a sua realização assinala o culminar do trabalho da Associação Cultural, sem fins lucrativos Anda&Fala.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.