De 8 a 13 de maio

Festas em Honra de São Miguel Arcanjo em Vila Franca do Campo

Festas em Honra de São Miguel Arcanjo em Vila Franca do Campo

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   7 de Mai de 2019, 08:30

As Festas em Honra de São Miguel Arcanjo, padroeiro de Vila Franca do Campo e da ilha de São Miguel, vão ter início na quarta-feira, dia 8 de maio, terminando a 13.

As Festas em Honra de São Miguel Arcanjo são quase tão “antigas como a descoberta da ilha e a Procissão (momento alto das comemorações) mantém as origens medievais, em que as diferentes profissões tomam parte no cortejo acompanhando o seu santo patrono. Diz-se até que, em tempos bem antigos, eram multados os que não acompanhavam o seu protetor”, refere nota de imprensa.


A Procissão é única no seu género, sendo conhecida como Procissão do Trabalho. Realiza-se anualmente a 8 de maio, data em que era invocada a Aparição do Arcanjo Miguel, ou no domingo mais próximo, sendo que, este ano, decorre no dia 12 de maio, a partir das 18 horas.


Todos os anos, o Arcanjo “sai à rua empunhando espada e escudo com a insígnia Quis Ut Deus – ‘Quem Como Deus?’, a origem hebraica do nome Miguel. Mikeel, significa Mi (quem) Ke (Como) El (Ele Deus)”.


Nas noites de sexta-feira até segunda-feira, os santos ficam em exibição na casa de “mordomos” que ornamentam os seus quartos ou salas, com motivos relativos à profissão de cada santo patrono.


Tomam parte os pescadores com São Pedro Gonçalves; os lavradores com Santo Antão; os oleiros com Santo António, os barbeiros com Santa Catarina; as profissões liberais com São Nuno de Santa Maria; os sapateiros com São Crispim; os carpinteiros com São José; os pedreiros com São João; os arrieiros e albardeiros com a Senhora do Egipto; os militares com a Senhora da Paz; os escuteiros com o Menino Jesus (anteriormente os alfaiates); São Vicente de Paulo pelas congregações Vicentinas, juventude e desfavorecidos, presidindo São Miguel Arcanjo, o padroeiro da ilha.


De todas estas imagens, apenas três estão durante o ano em templos religiosos (São Miguel, Menino Jesus e Senhora da Paz) estando as restantes em casa de famílias que as recolhem.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.