Liga dos Campeões

FC Porto perde em casa com Dinamo de Kiev

FC Porto perde em casa com Dinamo de Kiev

 

Lusa/AO online   Futebol   21 de Out de 2008, 21:13

O FC Porto perdeu hoje em casa com o Dinamo Kiev, da Ucrânia, por 1-0, em jogo da terceira jornada do grupo G da Liga dos Campeões de futebol
Um FC Porto sem sentido colectivo ou atitude competitiva complicou hoje o acesso aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões em futebol, após derrota em casa com o Dínamo de Kiev por 1-0, na terceira jornada da prova.
Após a vitória no Dragão frente ao Fenerbahçe (3-1) e goleada sofrida com Arsenal (4-0), tornava-se fundamental a vitória, mas o FC Porto deixou de novo má imagem e, prova disso, a enorme assobiadela ouvida no Dragão, no final da partida, com vaias ao treinador Jesualdo Ferreira.
O excelente golo de Aliyev, aos 27 minutos, na transformação de um livre directo, permitiu ao Dínamo ascender à segunda posição do Grupo G, agora com cinco pontos, mais dois que o FC Porto e quatro que Fenerbahçe e menos dois que o líder Arsenal.
O FC Porto tem agora duas deslocações complicadas (à Ucrânia e à Turquia), recebendo na última jornada o Arsenal: tarefa dificílima para o tricampeão português e líder do campeonato luso, que joga tudo no acesso aos “oitavos”.
Incapaz de perceber o bom futebol do Dínamo, o FC Porto pouco ou nada fez para merecer outro resultado, caindo de novo em casa em jogos para a Champions: a última derrota datava de 28 de Setembro de 2005, dia em que o desconhecido Artmedia venceu por 3-2. Passaram, entretanto, 22 jogos.
Como era esperado, o treinador Jesualdo Ferreira manteve a equipa e esquema tácticos habituais, com Nuno na baliza, uma linha defensiva composta por Sapunaru, Rolando, Bruno Alves e Lino, um meio-campo a três, com Fernando, Raul Meireles e Lucho Gonzalez, deixando o ataque a cargo de Mariano Gonzalez, Cristian Rodriguez e Lisandro Lopez.
Do lado do Dínamo de Kiev, equipa ucraniana até então com dois empates na Liga dos Campeões e imbatível na Europa até hoje, Yuri Semin desenhou uma estratégia mais defensiva e com mais elementos a meio campo, espreitando o contra-ataque com Ismael Bangoura, o único avançado no onze inicial.
Cientes da importância de um triunfo, até porque a goleada em Londres frente ao Arsenal (4-0) ofuscou o brilho europeu, os portistas entraram melhor no encontro, mas apenas aos 18 minutos chegaram com real perigo à baliza adversária: Lisandro driblou vários defesas e serviu Lucho para um remate ao poste direito.
Pouco depois, aos 22 minutos, Lucho perdeu oportunidade de enviar a bola por cima do guarda-redes Bogush e, aos 27, o Dínamo gelou o Dragão: Olexandr Aliyev, na transformação de um livre do lado esquerdo, rematou forte e colocado e deixou Nuno enterrado na relva, a seguir a trajectória do esférico com os olhos.
A perder por 1-0 e a ver o acesso aos oitavos-de-final mais longe, o FC Porto tornou-se mais insistente nas manobras ofensivas (Lisandro disparou ao lado aos 31 minutos), mas as investidas foram sempre produzidas individualmente e normalmente sem qualquer nexo. Foi esta a imagem mais recorrente no encontro.
Ao intervalo, Jesualdo Ferreira arriscou com a entrada de Hulk (saiu Fernando) e passou a alinhar num esquema de 4x4x2 e, embora Sapunaru tenha cabeceado ao lado, logo aos 47 minutos, o FC Porto manteve a imagem de pouca união entre os seus elementos.
Com Milevskiy e Eremenko nos lugares de Bangoura e Ghioane, o Dínamo prosseguiu a sua excelente epopeia defensiva e a apetência para o contra-ataque, obrigando o treinador do FC Porto a retirar Rodriguez, apagado, para apostar em Tarik.
Apesar das mudanças, o FC Porto continuava com enorme dificuldade em chegar com perigo à baliza de Bogush e apenas os remates de Hulk ou Lucho iam entusiasmando timidamente os adeptos portistas, descontentes com o comportamento da equipa.
Hulk, aos 83 minutos, cabeceou por cima, em excelente posição, numa altura em que a formação ucraniana, líder do campeonato local, tudo fazia para defender – bem - a vantagem merecida.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.