Exercício militar testa capacidade de apoio a desalojados

 Exercício militar testa capacidade de apoio a desalojados

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Mai de 2010, 06:51

 A Zona Militar dos Açores envolve a partir de hoje cerca de 300 efetivos num exercício de apoio a desalojados num cenário de sismo que afeta as ilhas de S. Miguel e Terceira.

O exercício "Cachalote 10", que decorre até quarta feira, tem como cenário um sismo com epicentro a noroeste do Banco D. João de Castro, seguido por uma réplica a nordeste daquela área, afetando gravemente a zona este da Terceira e noroeste de S. Miguel, com um elevado número de desalojados e danos materiais.

A zona onde ocorre o tremor de terra fictício em que se baseia este exercício é considerada pelos especialistas uma área ativa do ponto de vista sísmico.

“Em 1997 ocorreu um sismo de magnitude considerável próximo desta região, um evento que foi bem sentido pelas populações de S. Miguel e Terceira”, afirmou Teresa Ferreira, do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), em declarações à Lusa.

Teresa Ferreira salientou que “todo o setor entre as ilhas de S. Miguel e Terceira é uma faixa que é ativa” em termos sísmicos, mas escusou-se a comentar a possibilidade de ocorrer um abalo como aquele em que se baseia o exercício militar "Cachalote 10". “A capacidade destrutiva depende da magnitude do sismo”, frisou a especialista.

O exercício militar que hoje começa pretende treinar a estrutura de comando da Zona Militar dos Açores e as equipas especializadas na resposta aos pedidos de apoio do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros.

Segundo uma fonte do Comando da Zona Militar dos Açores, Durante dois dias os efetivos serão submetidos a um “treino muito cuidadoso”, durante o qual serão “verificados os materiais todos”.

Em S. Miguel, o exercício envolverá 200 militares, que vão montar na Carreira de Tiro da Fajã de Cima, em Ponta Delgada, uma área de apoio aos desalojados, com várias valências para prestação de cuidados médicos, apoio psicológico e alimentação.

“O Ponto de Reunião e Irradiação de Desalojados é, no fundo, uma área que recebe desalojados, identifica-os, presta apoio e depois encaminha-os para o campo de retaguarda”, salientou à Lusa a fonte militar.

Na Terceira, o exercício vai envolver uma centena de militares e decorrerá nos Cinco Picos, onde também será montado um Ponto de Reunião e Irradiação de Desalojados, para uma “primeira abordagem” numa situação de catástrofe.

O exercício "Cachalote 10" não envolverá a participação de figurantes, o que só acontecerá no exercício "Açor 102", também no âmbito da Protecção Civil, que decorrerá durante o segundo semestre deste ano.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.