Estado poderá encaixar 497,3 ME com venda dos CTT em bolsa

Estado poderá encaixar 497,3 ME com venda dos CTT em bolsa

 

Lusa/AO Online   Economia   19 de Nov de 2013, 07:27

O valor que o Estado poderá encaixar com a venda de ações em bolsa dos CTT é de 497,3 milhões de euros, de acordo com o prospeto de oferta pública de venda da empresa.

 

O Governo anunciou na segunda-feira que as ações dos CTT, vendidas em bolsa no âmbito da privatização da empresa, terão um preço entre os 4,10 euros e os 5,52 euros.

No documento hoje divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, lê-se que “o preço de venda das ações apenas será definido após o final da oferta, adiantando que isso acontecerá a 3 de dezembro próximo.

Por isso, “não é possível indicar a receita líquida total”.

Ainda assim, no prospeto são feitas as contas “considerando o ponto médio do intervalo de preços da oferta definido, o desconto de 5% para as ações compreendidas na oferta reservada a trabalhadores” e estima que, se vender 70% das ações, “o montante líquido máximo da receita da Oferta estimada corresponde a € 497,3 milhões”.

Os CTT formalizaram, no passado dia 4, a intenção da Parpública avançar com a oferta pública inicial (IPO) em bolsa da empresa, no âmbito do processo de privatização.

A Parpública irá vender “até 105 milhões de ações, representativas de 70% do capital social dos CTT”, sendo 21 milhões através de OPV e o restante através de venda direta institucional (84 milhões de ações).

Do total reservado à OPV, um lote de 5,25 milhões de ações será para os trabalhadores dos Correios e 15,75 milhões de ações para o público em geral.

Numa primeira fase, o Estado, através da Parpública, deverá ficar com 30% dos CTT após a IPO. A médio prazo, o Estado deverá sair da empresa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.