“Escolha dos alunos prova confiança na Universidade dos Açores”

Carregando o video...

 

AO Online   Regional   18 de Set de 2008, 11:35

Na cerimónia de recepção aos alunos do primeiro ano, o reitor da Universidade dos Açores (UAc), Avelino Meneses, referiu a qualidade do ensino da instituição e salientou que a escolha dos alunos prova a confiança que têm na instituição apesar da concorrência.
Recorde-se que este ano a UAc conseguiu um bom preenchimento de vagas na primeira fase de acesso ao ensino superior.
Depois de dar as boas-vindas aos novos alunos, o reitor foi peremptório ao afirmar que “a escolha dos alunos constitui uma prova de confiança na instituição universitária dos Açores”, referindo o “corpo docente ainda jovem, mas muito qualificado”, que segundo Avelino Meneses é “garantia de uma prática científica e de uma prática pedagógica de competência e de criatividade”.
Referindo o facto de, actualmente, haver mais oferta do que procura no ensino superior, o reitor deixou claro ser “um acto de vontade que move a escolha de uma instituição”, acrescentando que todos aqueles que escolheram a UAc resistiram ao apelo de instituições mais tradicionais, que beneficiam de uma fama mais consolidada e resistiram ao fascínio de paragens distantes que suscitam o entusiasmo dos espíritos mais jovens”.
Avelino Meneses fez questão de referir que a escolha foi feita “apesar da concorrência entre instituições e apesar da facilidade de comunicações” que hoje existe, que poderia ter levado os alunos a ingressarem em universidades do continente português.
No seu discurso, o reitor apelou à participação democrática na gestão da escola, por parte dos estudantes, docentes e funcionários, salientando que apesar dos estudantes serem o centro do sistema educativo “o êxito da formação estudantil deve ser conseguido a par da valorização científica dos docentes e da realização profissional dos funcionários”.
Incentivando os alunos a desenvolverem uma “cultura de exigência para com a universidade”, Avelino Meneses referiu o facto de os futuros diplomados serem os futuros embaixadores da UAc e o meio de avaliação da qualidade do ensino na instituição.
“A UAc tem que oferecer aos alunos um ensino de qualidade, baseado na formação e no empenho dos docentes, assim como boas condições materiais, de estudo e de acção social”, disse.
Bruno Raposo, presidente da Associação Académica da Universidade dos Açores, referiu que, para além do esforço para atingir o objectivo primário - terminar a licenciatura -, os novos alunos devem também envolver-se nas actividades associativas, paralelas ao estudo, como as tunas, associação de estudantes e outros núcleos universitários.
O jovem micaelense Filipe Simas, que entrou na primeira opção da sua candidatura - Engenharia Mecânica -, decidiu ficar na sua terra natal por uma questão de comodidade e condições de estudo, e embora não tenha termo de comparação com outras universidades, diz estar a gostar das instalações e do ambiente, lamentando, no entanto, o facto de as matrículas decorrerem até dia 19, quando as aulas tiveram início a 15 de Setembro, o que “dificulta um pouco as coisas”.
A mesma queixa é apresentada por Ana Rita, do Porto, que apesar de estar contente por ter entrado em Medicina ficou surpreendida pela facto de as aulas começarem tão cedo, quando ainda está mais preocupada em arranjar casa.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.