Empresa de Borba quer aumentar exportações


 

Lusa / AO online   Economia   5 de Nov de 2007, 16:44

A empresa produtora de vinho Marcolino Sêbo, de Borba, quer aumentar as vendas para os mercados dos Estados Unidos, China e Suiça, apesar de já exportar 30 por cento da sua produção, disse fonte da empresa.
Luís Sêbo, da administração da empresa, adiantou à agência Lusa que a estratégia para aumentar as exportações passa também por alguns mercados da União Europeia.

A empresa, de acordo com o responsável, já exporta para os Estados Unidos, China, França, Alemanha, Noruega, Luxemburgo, Suiça e Brasil.

Em Portugal, a zona centro e o Algarve são os principais destinos do vinho desta empresa vitivinícola.

Em 2006, segundo o responsável, a Marcolino Sêbo produziu 600 mil litros de vinho, 85 por cento tinto e o restante branco, e este ano a produção deve aumentar cinco por cento, atingindo os 630 mil litros.

A empresa produz os vinhos Visconde de Borba, Monte da Vaqueira e Quinta da Pinheira, os monocastas Aragonês, Trincadeira e Castelão, um vinho licoroso e uma aguardente vínica velha.

A Marcolino Sêbo possui uma área de 130 hectares de vinha nos concelhos alentejanos de Borba e Estremoz.

A adega está situada junto às vinhas na Quinta da Pinheira, nos arredores da freguesia de Arcos, concelho de Estremoz, com uma capacidade de armazenamento de 1,5 milhões de litros de vinho.

A empresa lançou no mercado, em 2006, o azeite Visconde de Borba, virgem extra, com uma produção de 20 mil litros, dos quais exportou cinco por cento para a Suiça, Alemanha e Áustria.

A Marcolino Sêbo possui 30 hectares de olival na Quinta da Pinheira, em Rio de Moinhos, concelho de Borba.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.