Durão Barroso vai confrontar Mugabe em Lisboa com violações dos direitos humanos


 

Lusa / AO online   Internacional   11 de Out de 2007, 15:14

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, reconheceu hoje que se senta frequentemente com pessoas que a sua mãe reprova, mas garantiu que confrontará o presidente do Zimbabué com as violações dos direitos humanos no seu país.
    "Fui ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro no meu país e muito frequentemente temos de nos sentar em reuniões internacionais na companhia de pessoas com as quais a minha mãe não gostaria de me ver", confessou Durão Barroso, em conferência de imprensa, após um encontro, em Londres, com o chefe do Governo britânico, Gordon Brown.

    Barroso respondia a uma questão sobre como irá sentir-se quando se sentar à mesma mesa de Robert Mugabe na II Cimeira UE-África, a 08 e 09 de Dezembro, em Lisboa, a qual será boicotada pelo primeiro-ministro britânico em protesto contra a presença do presidente zimbabueano.

    "Acontece-me muito frequentemente na minha vida e temo que continuará a acontecer no futuro", acrescentou o presidente da Comissão de Bruxelas, durante a conferência de imprensa.

    "Eu não sei se [Robert Mugabe] vem ou não à cimeira", ressalvou Barroso, que disse compreender a "posição específica" do seu anfitrião (Brown) relativamente a este assunto.

    "Mas o que posso dizer-vos é que nessa ocasião tornarei claro qual é a nossa posição relativamente aos direitos humanos: é preciso respeitar os direitos humanos, é preciso respeitar a liberdade de expressão em África e em todo o mundo", vincou.

    "É esta a minha posição e não perderei a oportunidade para fazê-lo. Estou certo que os outros Estados membros (da UE) também não vão perder [a oportunidade]", adiantou.

    Todavia, o presidente do executivo comunitário disse que, referindo-se a Mugabe, "não é por causa de um indivíduo" que a cimeira não se deve realizar.

    O chefe do governo britânico voltou a dizer que nem ele, nem os seus ministros participarão na segunda Cimeira UE-África de Lisboa, que é uma das grandes prioridades da actual presidência portuguesa do bloco europeu dos 27.

    "Não vamos estar presentes na cimeira entre a União Africana e a União Europeia quando a questão for levantada", reafirmou hoje Gordon Brown, salientando que Londres "condena o que se passa actualmente no Zimbabué".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.