Saúde

Direcção-Geral rejeita críticas de caos na linha Saúde 24


 

Lusa/AOonline   Nacional   20 de Out de 2008, 11:00

A Direcção-Geral de Saúde rejeitou esta segunda-feira as críticas de falta de eficácia e "caos organizativo" da linha telefónica Saúde 24, alegando que a qualidade do atendimento e o interesse público estão salvaguardados.
Segundo a imprensa de hoje, oito supervisores do Saúde 24 escreveram uma carta à ministra da Saúde, denunciando o "caos organizativo" em que o serviço se encontra e decisões tomadas apenas para ganhar mais dinheiro.

    "É natural que haja interesse da operadora em ter lucro. Nós, Direcção-Geral da Saúde (DGS), marcamos a diferença no cumprimento da qualidade do serviço público. Asseguramos que a qualidade e o interesse público estão acima de qualquer outro interesse", afirmou à agência Lusa o responsável da DGS pela linha, enfermeiro Sérgio Gomes.

    A linha Saúde 24 presta a sua actividade em regime de parceria público-privada, sendo a operadora a empresa Linha de Cuidados de Saúde, do Grupo Caixa Geral dos Depósitos.

    Face às denúncias de falhas no atendimento, a Direcção-Geral da Saúde responde que a taxa de eficácia tem níveis superiores a 95 por cento.

    Assim, em 100 chamadas realizadas, menos de cinco ficarão por atender, sublinha Sérgio Gomes, lembrando ainda que a linha saúde 24 atende uma média de 1600 chamadas diárias.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.