Dinamarqueses favoráveis à moeda única


 

Lusa / AO online   Economia   26 de Nov de 2007, 10:53

Os dinamarqueses estão a favor do levantamento da derrogação sobre o euro, segundo uma sondagem publicada pelo diário Politiken, uns dias após o anúncio pelo primeiro-ministro de um projecto de referendo sobre a moeda única.
Os dinamarqueses interrogados manifestam-se também pelo levantamento da derrogação relativa à cooperação de defesa da União Europeia, mas pretendem continuar à margem da política judiciária comum.

No caso da moeda única, 52 por cento das pessoas interrogadas são favoráveis à supressão da derrogação sobre a moeda única e39 por cento são contra, sendo contabilizados, ainda, 9 por cento de indecisos.

No caso da política de defesa comum, 46 por cento declaram-se a favor do levantamento da derrogação, enquanto 38 por cento querem a sua manutenção e 9 por cento não se pronunciam.

No entanto, uma maioria de dinamarqueses (51 por cento) deseja manter a derrogação sobre a cooperação judicial, que permitiu até agora à Dinamarca ter uma política de imigração e de asilo independente da União Europeia (UE).

Cerca de um dinamarquês em três (32 por cento), deseja a sua supressão e 17 por cento têm dúvidas.

Esta sondagem do instituto Vilstrup Synovate foi realizada junto de 1.016 eleitores, a 23 de Novembro, o dia à seguir a apresentação do programa do governo liberal-conservador, anunciando um projecto de supressão das quatro isenções obtidas pela Dinamarca em 1993.

Este país obteve quatro derrogações (moeda única, defesa comum, cooperação judicial e cidadania europeia) dos seus parceiros europeus no seguimento da rejeição, por referendo, do Tratado de Maastricht em Junho de 1992.

Estas derrogações possibilitaram a organização de uma secunda consulta popular em Maio de 1993 em que o tratado foi aprovado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.