Açoriano Oriental
Dezenas de desaparecidos em deslizamento de terras em mina de jade na Birmânia
Dezenas de pessoas estavam hoje desaparecidas na sequência de um deslizamento de terras numa mina de jade no norte da Birmânia, naquele que é o segundo acidente grave do género em um mês.
article.title

Foto: EPA
Autor: Lusa/AO Online

“As equipas de resgate começaram os trabalhos e estamos à procura de cadáveres, mas não conseguimos ainda dar números”, disse à AFP Nilar Myint, um funcionário da cidade de Hpakant.

No final de novembro, mais de 100 pessoas morreram naquela região isolada na fronteira com a China, quando um deslizamento de terras soterrou cerca de 80 barracas improvisadas onde viviam pessoas que se dedicavam à exploração de jade na aldeia de Sankhatku, em Hpakant.

Segundo as organizações não-governamentais, dezenas de habitantes morreram nos últimos meses na sequência de pequenos aluimentos.

Os deslizamentos de terras são comuns nesta zona, para onde milhares de trabalhadores birmaneses pobres migram para tentar a sorte entre pilhas de escombros, durante a noite, na esperança de encontrar pedaços de jade que podem valer milhares de dólares. Trata-se de uma atividade desregulada, a que as autoridades e as empresas fecham os olhos, escreve a agência France Presse.

É da Birmânia que vem quase todo o jade de elevada qualidade do mundo, uma pedra verde quase translúcida muito valorizada na China.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.