Desacatos com adeptos dos No Name Boys provocam quatro feridos à saída de discoteca em Ponta Delgada

Desacatos com adeptos dos No Name Boys provocam quatro feridos à saída de discoteca em Ponta Delgada

 

Rui Jorge Cabral   Regional   13 de Jan de 2019, 22:11

A madrugada de sábado, após o jogo Santa Clara/Benfica, foi violenta em Ponta Delgada, com desacatos envolvendo adeptos do grupo organizado dos No Name Boys à saída de uma discoteca, dos quais resultaram quatro feridos, que precisaram de ir ao hospital. A polícia teve mesmo de disparar balas de borracha para repor a ordem.


Em comunicado, o Comando Regional dos Açores da PSP refere que a polícia foi chamada ao local - a discoteca Karma, no centro da cidade - por volta das 6 da manhã, tendo verificado a existência de quatro feridos ligeiros, que necessitaram de receber tratamento hospitalar, mas o pior ainda estava para vir.

Logo a seguir, refere o comunicado da PSP, “surgiu no local um grupo de cerca de 50 adeptos, pertencentes ao Grupo Organizado de Adeptos do Sport Lisboa e Benfica, denominado de No Name Boys que, ao visualizar os elementos policiais, procurou agredir os mesmos e arremessou na sua direção diversas garrafas em vidro, pedras e pedaços de madeira”.

Esta situação levou a que os polícias presentes no local tivessem de disparar quatro balas de borracha “de baixa potencialidade letal” para repor a ordem pública e cessar os atos violentos. Contudo, com a confusão que se instalou, os agressores conseguiram fugir, estando agora a polícia a realizar “diversas diligências de investigação” no sentido “de averiguar os contornos do sucedido, sendo oportunamente objeto de comunicação ao DIAP dos Açores”.

Em declarações à RTP-Açores, o proprietário da discoteca Karma, Tony Velho, afirma que as agressões começaram quando um grupo de adeptos do Benfica tentou sair da discoteca sem pagar. Recorde-se que já aquando da visita do Boavista a Ponta Delgada, em setembro passado, se registou um episódio de violência com adeptos boavisteiros, cujo caso está agora em tribunal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.