Açoriano Oriental
Crescimento da zona euro vai permanecer fraco nos próximos meses
O crescimento da economia da zona euro vai permanecer fraco nos próximos meses, segundo os indicadores avançados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).
Crescimento da zona euro vai permanecer fraco nos próximos meses

Autor: Lusa/AOonline

Os indicadores compósitos da OCDE para agosto revelam que as economias avançadas da organização vão continuar a abrandar nos próximos meses, com os EUA e o Japão a moderar o crescimento e a zona euro a continuar um percurso de enfraquecimento da economia.

Para Portugal, os indicadores compósitos subiram pelo quinto mês consecutivo em agosto para 98,81% da média da série – em julho, estavam nos 98,58 por cento - apontando para um desagravamento da deterioração da economia.

Para a maior parte dos países emergentes - China, Rússia, Índia - o panorama apresentado pela OCDE é de abrandamento ou estabilização, à exceção do Brasil, onde a organização antevê uma retoma do crescimento nos próximos meses.

Os indicadores avançados da OCDE visam prever pontos de viragem na tendência da atividade económica nos seis a nove meses seguintes. Ou seja: um ponto de viragem nos indicadores da OCDE (por exemplo, uma retoma) é seguido seis meses depois pela economia real.

No caso da zona euro, há mais de seis meses que os indicadores compósitos se degradam sucessivamente. Entre as principais economias da zona euro, a OCDE espera que o crescimento continue a ser fraco em Itália, França e na Alemanha.

No contexto europeu, a única exceção significativa é o Reino Unido, onde os indicadores apontam para uma retoma.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.