Açoriano Oriental
CDS/Açores acusa Governo Regional de recusar valorizar carreiras dos técnicos de saúde

O presidente do CDS/Açores acusou o Governo Regional de recusar "persistentemente" a valorizar a carreira dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, defendendo que “a região não pode continuar pelo mesmo caminho" no setor da saúde.

CDS/Açores acusa Governo Regional de recusar valorizar carreiras dos técnicos de saúde

Autor: Lusa/AO Online

Segundo uma nota de imprensa, o líder da estrutura centrista, Artur Lima, referiu o caso da carreira dos técnicos de diagnóstico e terapêutica (TSDT) como um dos exemplos de "um caminho de recusa de direitos e supressão de serviços" levados a cabo pelo Governo dos Açores, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro.

Segundo o líder parlamentar do CDS na Assembleia Regional, "o governo recusa persistentemente valorizar, após reuniões e promessas que se arrastam, em total desconsideração por uma classe profissional que é essencial para um bom e eficaz funcionamento do Serviço Regional de Saúde".

Em 08 de julho, os TSDT estiveram em greve e realizaram concentrações em várias ilhas dos Açores para reivindicar o descongelamento da carreira e a equiparação a outras carreiras da administração pública.

Na altura, o presidente do Governo Regional disse que o executivo estava a "trabalhar" na revisão da carreira destes profissionais, salientando a existência de uma reunião entre os TSDT e a secretária da Saúde em 31 de julho.

Nesse dia, aquando da inauguração de um conjunto de serviços no Hospital da Horta, Vasco Cordeiro foi recebido por um protesto dos TSDT, que criticaram a falta de progressos nas negociações com a secretária da Saúde, Teresa Luciano.

Para o líder do CDS no arquipélago, a "região não pode continuar pelo mesmo caminho na saúde", sendo necessário "dignificar e valorizar" as carreiras dos profissionais de saúde.

"Este governo e esta maioria persistem em fazer um caminho de recusa de direitos e supressão de serviços que não pode continuar. Este paradigma da promessa e da proclamação de resoluções para os problemas, sem que se resolva nada em concreto, tem de acabar", declarou Artur Lima.

O líder do CDS disse "não conhecer a razão" pela qual a Unidade de Saúde da ilha Terceira (USIT) não contrata mais TSDT, fisioterapeutas ou técnicos de terapia da fala.

Artur Lima considerou "ultrajante e ofensivo" a contratação de "um técnico de marketing" para a USIT quando se regista uma "falta de recursos humanos" em setores fundamentais no Serviço Regional de Saúde.

Em primeiro lugar, sublinhou, “está a saúde dos açorianos e depois a propaganda".

"A contratação do técnico de marketing é para promover as longas e vergonhosas listas de espera, para publicitar o tempo de espera de acesso aos meios complementares de diagnóstico ou para explicar aos utentes porque é que ainda não têm médico de família?", questionou, citado em comunicado.

Artur Lima referiu que compete ao executivo regional "estabelecer as prioridades" e proceder ao reforço do Serviço Regional de Saúde com os "profissionais imprescindíveis".


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.