Câmara de Ponta Delgada ausente de jantar oferecido pelo Governo


 

Paulo Faustino   Regional   3 de Nov de 2009, 09:19

A Câmara Municipal de Ponta Delgada não estará representada no jantar que o presidente do Governo vai oferecer amanhã  aos presidentes de câmara eleitos pelo PSD/A nas Autárquicas.
A partir de hoje, Berta Cabral vai ausentar-se da Região para um “breve período de férias desde há muito programado”, razão pela qual endereçou um ofício à Presidência do Governo a solicitar que fosse representada pelo presidente de câmara em exercício. Mas a Presidência do Governo recusou a intenção, alegando que a “substituição do presidente da Câmara Municipal eleito (Berta Cabral) por outro elemento da sua Vereação vai contra o espírito” do jantar. Mais esclareceu que o objectivo de Carlos César “é obsequiar e conviver com os Presidentes das Câmaras Municipais efectivamente eleitos”.
Perante a situação levantada, o município de Ponta Delgada não estará representado e manifesta a sua estranheza. Segundo fonte camarária, a cooperação institucional “faz-se com as instituições e não com as pessoas”.
Os líderes das restantes seis câmaras municipais eleitas pelo PSD marcarão presença no evento, que decorrerá no Palácio da Conceição, em Ponta Delgada.
O jantar, de carácter informal, surpreendeu à partida por não ter juntado na mesma mesa os responsáveis pelos dezanove municípios açorianos. Carlos César jantou há dias, em primeiro lugar, com os autarcas do PS. Amanhã será a vez dos do PSD. Uma situação inédita em 33 anos de Autonomia Político-Administrativa no arquipélago.
O convite endereçado pelo presidente do Governo invoca a “boa colaboração entre a administração regional e local”.
Outra peculiaridade do encontro é que não tem temas previamente definidos na agenda. Será antes um convívio para troca de impressões, tal qual como aconteceu dias antes com os presidentes de câmara socialistas, adiantou fonte do AO. O PSD deu liberdade de escolha aos seus autarcas para irem.
A iniciativa de César, porém, não deixou de causar estranheza entre as hostes sociais-democratas. É o caso de Carlos Rodrigues, uma das maiores surpresas das Autárquicas na Região, ao conquistar ao PS o seu antigo “bastião” de Vila do Porto, na ilha de Santa Maria. “Acho no mínimo estranho que os autarcas do PSD sejam convidados para um jantar com o presidente do Governo”, frisou, apontando que houve “distinção” entre autarcas do PS e PSD.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.