Processo Casa Pia

"Bibi" volta a depôr em julgamento na quinta-feira


 

Lusa/AO   Nacional   29 de Out de 2008, 11:08

O ex-motorista da Casa Pia Carlos Silvino, principal arguido no processo Casa Pia, volta esta quinta-feira a depôr em tribunal, numa altura em que o julgamento se aproxima das alegações finais da acusação e da defesa.
Carlos Silvino ("Bibi"), 50 anos, responde em tribunal por mais de 600 acusações de abuso sexual de menores. Em declarações prestadas em 2005, o arguido confessou ter abusado de 22 dos 28 jovens casapianos mencionados no despacho de pronúncia.

    Em 2005, "Bibi" afirmou-se arrependido dos crimes que lhe são imputados e implicou os outros arguidos, declarando ter conduzido jovens casapianos a encontros sexuais com os arguidos.

    O principal arguido do processo de pedofilia volta a falar em tribunal depois de, nos últimos seis meses, o apresentador de televisão Carlos Cruz, o médico Ferreira Diniz e o ex-provedor adjunto da Casa Pia Manuel Abrantes terem voltado a prestar declarações em julgamento.

    O grosso das intervenções dos outros arguidos foi no sentido de desmentir as acusações de Silvino, que os implicou em várias datas em que alegadamente ocorreram abusos sexuais.

    O início das alegações finais do processo foi marcado pela presidente do colectivo de juízes, Ana Peres, para 24 de Novembro, a véspera do quarto aniversário da detenção de Carlos Silvino.

    Entre testemunhas, peritos e consultores ouvidos, 990 pessoas já passaram pelo banco das testemunhas e prestaram 1.172 depoimentos no julgamento, que dura há quatro anos e já acumulou 402 sessões, num total de 1.583 horas.

    Tantas horas resultaram numa verdadeira pilha de registos: 968 cassetes áudio, 314 dvd, 105 cd e 12 cassetes de vídeo foram gravados ao longo das sessões.

    O processo tem cerca de 60.400 folhas repartidas por 255 volumes e 528 apensos.

    Ao longo dos trabalhos, já foram apresentados 143 recursos, 72 dos quais na fase de inquérito, 13 na fase de instrução e 58 já em julgamento.

    Foram ainda proferidos 1.708 despachos e apresentados 1.818 requerimentos.

    Em tribunal respondem Carlos Silvino, Carlos Cruz, Ferreira Diniz, o advogado Hugo Marçal, o embaixador Jorge Ritto e Gertrudes Nunes, proprietária de uma casa de Elvas em que alegadamente ocorreram abusos sexuais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.