Berta Cabral diz que Passos Coelho precisa de Executivo "que lhe dê outra segurança"

Berta Cabral diz que Passos Coelho precisa de Executivo "que lhe dê outra segurança"

 

lusa/AO Online   Regional   29 de Set de 2012, 18:58

A líder do PSD/Açores, Berta Cabral, afirmou hoje que o primeiro-ministro português "não pode ser o bombeiro de serviço", alegando que Pedro Passos Coelho precisa de um Executivo que lhe dê outra segurança política.

 

“Eu acho que o primeiro-ministro é uma pessoa muito experiente politicamente, mas ele não pode ser o bombeiro de serviço e é o que tem sido. Penso que precisa de ter um Governo que lhe dê outra segurança política”, afirmou Berta Cabral aos jornalistas à margem de uma ação de rua em Santa Maria, no âmbito da campanha para as eleições regionais de 14 de outubro.

A líder do PSD/Açores e candidata à presidência do Governo Regional considerou que um primeiro-ministro “não pode ser o principal político do Governo, tem de haver outras pessoas a fazer esse papel” e a fazer “a triagem dos aspetos políticos, o que não tem sido feito até agora”.

Questionada sobre a necessidade de ocorrer uma remodelação no Governo da República, Berta Cabral apenas afirmou que não lhe cabe pronunciar-se sobre isso.

A dirigente social-democrata reafirmou ser completamente diferente de Pedro Passos Coelho em termos de personalidade, passado e sensibilidade social.

“Não tenho vergonha de o dizer. É a minha maneira de ser. É a minha personalidade, a minha postura e o meu passado”, disse, acrescentando que Passos Coelho “sabe desde a primeira hora que em primeiro lugar está os Açores, em segundo lugar está os Açores, em terceiro lugar está os Açores e só depois, muito depois, virão as lealdades partidárias”.

“Ele faz o mesmo e eu compreendo isso. Em primeiro lugar está o país e só depois está o Partido Social-Democrata”, sustentou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.