Liga Portuguesa de Futebol

Benfica vence na Mata Real

Benfica vence na Mata Real

 

Lusa/AO   Futebol   3 de Nov de 2007, 20:13

O Benfica diminuiu para seis pontos a diferença para o líder FC Porto após o suado triunfo por 2-1 na visita ao Paços de Ferreira, na nona jornada da Liga de futebol.
O Benfica venceu o Paços de Ferreira, na Mata Real, por 2-1, e aproximou-se do FC Porto na liderança da I Liga portuguesa.
Com este resultado, os encarnados estão agora a seis pontos do líder FC Porto e têm uma vantagem de quatro sobre o Sporting, apesar dos leões só jogarem hoje, com a Naval.
José António Camacho, o último treinador a vencer com o Benfica na Mata Real, voltou à "primeira equipa" depois do desaire na Taça da Liga, com Katsouranis na defesa e Cardozo sozinho no ataque. Nuno Gomes começou a partida no banco. 
Já José Mota foi fiel ao seu sistema de jogo, colocando Rovérsio e Renato Queirós no lugar dos lesionados Luiz Carlos e Edson.
Sabendo que podia chegar-se mais perto da liderança, o Benfica entrou melhor e atacou bastante, mas na maior parte das vezes sem nexo. 
O primeiro aviso surgiu aos 20 minutos, numa jogada de contra-ataque, com Rui Costa a isolar Nuno Assis que assistiu Leo para o remate. Peçanha fez a mancha e evitou o primeiro tento do encontro com o calcanhar.
No lance seguinte, os encarnados inauguraram o marcador, com um livre de Rui Costa a servir Rodriguez para o 1-0. O baixinho médio foi mais alto que os centrais do Paços de Ferreira e cabeceou sem hipóteses para Peçanha.
Os adeptos do Benfica ainda festejavam o golo, quando os pacenses empataram por Tiago Valente. Aos 29 minutos, a defesa encarnada ficou a "dormir" num canto do Paços de Ferreira, e o central completamente isolado a aproveitar a sobra e a marcar.
O golo serviu de tónico para os pacenses, que tiveram ainda duas oportunidades para marcar novamente na primeira parte. Aos 34 minutos, numa jogada de contra-ataque, Ricardinho isolou Cristiano que só não marcou porque Quim desviou com a ponta dos dedos. Logo a seguir Pedrinha com um grande remate obrigou Quim a nova grande intervenção.
Na segunda parte, foi maior a guerra nos bancos do que nas quatro linhas, apesar de Óscar Cardozo ainda ter assustado Peçanha uma vez e Ricardinho e Renato Queirós terem visado com perigo a baliza encarnada.
José António Camacho colocou Adu, Di Maria e Nuno Gomes e ganhou com as substituições.
Aos 84 minutos, o árbitro Bruno Paixão marcou falta de Binya sobre Furtado perto da área benfiquista, num lance com muitos protestos, mas o livre não levou perigo à baliza de Quim.
O Benfica conseguiu o golo da vitória aos 86 minutos, por Katsouranis, no que já vem sendo tradição dos encarnados de marcar nos últimos minutos dos encontros. Peçanha defendeu para a frente um livre de Rui Costa e o grego a aproveitar para fazer o 2-1.
O Paços de Ferreira tentou desesperadamente o empate e, em cima dos 90 minutos, Furtado cabeceou à barra na sequência de um canto.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.