Benfica vence a ‘negra’ e é o novo campeão nacional de futsal

Benfica vence a ‘negra’ e é o novo campeão nacional de futsal

 

AO Online/ Lusa   Outras modalidades   16 de Jun de 2019, 20:07

O Benfica sagrou-se este domingo campeão nacional de futsal ao vencer o Sporting por 4-3, no quinto jogo da final do campeonato, pondo fim a um jejum de três anos, épocas em que foram precisamente os ‘leões’ a vencer o troféu.

Os sete golos do encontro foram marcados na primeira parte do, com o Benfica sempre a liderar o marcador e o Sporting a correr atrás do resultado. Depois de ter ganhado o segundo e terceiro jogo, a equipa de Joel Rocha carimbou o oitavo título de campeão perante o seu público, num pavilhão completamente lotado, depois de ter terminado também como líder na fase regular, com a melhor defesa e o melhor ataque.

O jogo arrancou com o Benfica mais acutilante no ataque, e Guitta desde cedo a destacar-se na baliza do Sporting, após remates de Fábio Cecílio e Fernandinho.

O Sporting equilibrou após os dois minutos, mas num contra-ataque Cecílio deixou a baliza ‘leonina’ a estremecer com um remate à trave. O Benfica voltava a estar melhor e, no espaço de meio minuto, Raúl Campos materializou o ascendente das águias por duas vezes. O espanhol, que ainda não tinha jogada nesta final, inaugurou o marcador com um remate ao ângulo e depois aproveitou um erro do Sporting na saída para o ataque e picou sobre Guitta, fazendo o 2-0, tudo no minuto 07.

Estavam abertas as ‘hostilidades’ para uma primeira parte de alta rotação, e o Sporting respondeu pelo inevitável Cardinal, a reduzir ao minuto 09, num remate de primeira de pé esquerdo em que Chaguinha perdeu a marcação.

Roncaglio e Guitta evitaram por várias vezes o golo, que voltou a acontecer para o Sporting, com Léo a empatar, aos 12 minutos, na marcação de um livre, numa bola rasteira em que Roncaglio podia ter feito mais.

O Benfica abanou, mas voltou à carga com Bruno Coelho a fazer o 3-2 (14), intrometendo-se numa bola que estava na área de ação de Guitta e que o ala lhe roubou, desviando para a baliza deserta.

Aos 15, Raúl Campos confirmou o estatuto de estrela da primeira parte e completou o ‘hat-trick’, em mais uma jogada em que surgiu oportunamente entre o defesa do Sporting e Guitta.

O jogo esteve 20 minutos num ritmo louco e antes de fechar a primeira parte, aos 18, Rocha reduziu para 4-3 para os ‘leões’, resultado com que se atingiu o intervalo.

Depois do ritmo ‘louco’ que marcou o primeiro tempo, as duas equipas entraram para a segunda parte mais ponderadas nos riscos a correr, naturalmente com o Sporting a tomar conta do jogo em busca do empate e o Benfica a apostar no contra-ataque a cada deslize ‘leonino’.

Sem que ninguém cometesse qualquer deslize, o jogo chegou aos cinco minutos finais com o Benfica na frente por 4-3, obrigando Nuno Dias a apostar no cinco para quatro para chegar ao empate que desse o prolongamento.

Merlim ocupou o lugar de Guitta, e o Sporting tentou tudo e teve a melhor ocasião com sete segundos no cronómetro para acabar, num remate de Cavinato que esbarrou no poste da baliza das ‘águias’.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.