BE confronta Governo com preocupação dos trabalhadores da Norma Açores

BE confronta Governo com preocupação dos trabalhadores da Norma Açores

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   28 de Mar de 2019, 15:40

O Bloco de Esquerda questionou o Governo dos Açores, através de requerimento e perante a indefinição relativamente ao futuro da empresa Norma Açores, "cujo concurso público de alienação terminou sem que surgisse qualquer interessado, se será lançado novo concurso e que medidas pretende o Governo introduzir nas condições do processo de alienação para salvaguardar os postos de trabalho e os direitos dos trabalhadores".

"É do conhecimento do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda a existência de um abaixo-assinado, subscrito por todos os trabalhadores da empresa, em que estes demonstram a sua preocupação quanto ao futuro da empresa e dos seus postos de trabalho, devido à situação de indefinição que a empresa vive", refere o partido em comunicado.

Recorde-se que, no âmbito da reestruturação do Setor Público Empresarial Regional, foi deliberada a alienação total da participação que a EDA detém na Norma Açores. No entanto, o "concurso lançado a 12 de novembro de 2018 e que terminou a 24 de janeiro de 2019 ficou deserto, não tendo surgido nenhum interessado na sua compra".

A Norma Açores tem 55 trabalhadores e desenvolve a sua atividade em todas as ilhas do Arquipélago. A empresa registou, em 2017, um volume de negócios de 3,1 milhões euros, tendo um resultado positivo líquido de 77 mil euros.

A EDA – Eletricidade dos Açores, SA (EDA) é o maior acionista da Norma Açores e detém 62,625% do seu capital social. Os restantes acionistas são a Consulmar SGPS,SA, com 25,5% do capital, a Açoreana de Seguros com 5% e a Norma Açores com 6,875%.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.