BE/Açores diz que há "dúvidas" e "contradições" no estudo do Governo sobre toxicodependência

BE/Açores diz que há "dúvidas" e "contradições" no estudo do Governo sobre toxicodependência

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Fev de 2019, 16:48

O BE/Açores alertou, esta segunda-feira, que existem “muitas dúvidas” e “contradições” sobre o estudo que o Governo Regional encomendou relativo à toxicodependência, e que foi recomendado pelo parlamento açoriano.

Em nota enviada à comunicação social, o BE “estranha também a incoerência” do Governo dos Açores relativamente às datas da conclusão do estudo, uma vez que o secretário regional da Saúde “diz que já foi entregue ao Governo, mas o gabinete do secretário regional para os Assuntos Parlamentares assume que ainda não está concluído”.

O BE/Açores recorda que a recomendação, aprovada por unanimidade no parlamento regional, em 2017, apontava para que se realizasse uma “caracterização da situação atual, com particular enfoque nos consumidores, nomeadamente, quanto a escalão etário, género, situação perante a escolaridade e o emprego, condições socioeconómicas, tipologia e padrões de consumo e área geográfica de residência”.

Em resposta a um requerimento do Bloco, o Governo Regional justifica o atraso com o alargamento da amostra do estudo de 1500 alunos para toda a comunidade escolar e, caso se confirme que este estudo se cingiu apenas a esta comunidade, “será não só uma falha grave na análise da problemática da toxicodependência, mas um claro desrespeito pelo órgão máximo da autonomia: o parlamento do Açores”.

O BE/Açores refere que o secretário regional da Saúde revelou que a Universidade dos Açores entregou um estudo regional sobre os jovens e as dependências, cujos resultados deverão ser conhecidos em fevereiro, mas o gabinete do secretário regional adjunto da presidência para os Assuntos Parlamentares diz que ‘a conclusão e apresentação do estudo está prevista até ao final do primeiro semestre”.

“Portanto, em 30 de janeiro o Governo Regional diz que já está na posse do estudo e que o mesmo será apresentado em fevereiro, mas, em 20 de fevereiro, o executivo assume que o estudo ainda não está pronto, e que ficará concluído durante a primeira metade do ano. Das duas uma: ou existem dois estudos com abrangências diferentes e datas de conclusão diferentes, ou o Governo Regional não está a cumprir um projeto de resolução aprovado por unanimidade no parlamento”, conclui o BE/Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.