Entrevista Jim Costa

Base militar das Lajes "é crítica” para estabilidade e segurança dos EUA

 Base militar das Lajes "é crítica” para estabilidade e segurança dos EUA

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Jan de 2019, 14:10

O congressista lusodescendente Jim Costa voltou a defender a manutenção da base militar norte-americana das Lajes, ilha da Terceira, como uma das três bases insulares “críticas” para a Defesa dos Estados Unidos.

Em entrevista à agência Lusa em Washington, Jim Costa reafirmou que mantém a oposição à redução e extinção da base aérea militar dos EUA nos Açores, mesmo estando consciente da mudança dos objetivos geoestratégicos do país.

“Com as negociações que têm tido lugar entre os portugueses e os norte-americanos e com os esforços adicionais com que temos pressionado o Departamento de Defesa, no Congresso, esperamos que o novo perfil nos permita continuar a utilizar essa infraestrutura e que no futuro possamos tirar vantagem das oportunidades se a geopolítica mudar”, disse.

Jim Costa considera haver três ilhas com bases militares “críticas para e estabilidade e bem-estar a longo termo dos Estados Unidos” e essas são a ilha da Terceira, no Oceano Atlântico, a ilha de Guam no Oceano Pacífico e a Diego Garcia no Oceano Índico.

A base militar nas Lajes é um ponto essencial para a NATO e para atividades militares dos EUA e de Portugal, sustentou o político representante do Estado da Califórnia no Congresso, apesar da redução militar de 2015 que levou à eliminação de centenas de postos de trabalho nas Lajes, entre os quais a rescisão por mútuo acordo de cerca de 400 funcionários portugueses.

“O mundo mudou e temos vários assuntos a resolver com o compromisso da América, não só na NATO, mas também no nosso perfil militar. Tudo isso influenciou a redução [das forças militares] nas Lajes”, entendeu Jim Costa, referindo também a possibilidade de as aeronaves percorrerem longas distâncias sem paragens para se abastecerem, ao contrário do que acontecia antigamente.

O luso-americano também estendeu os votos de que Portugal continue a mostrar-se “um bom membro da NATO” para que as Lajes continuem a dar provas da sua importância no quadro mundial.

Durante vários anos, a Base das Lajes foi um ponto estratégico importante para o combate contra o terrorismo no Médio Oriente pelos EUA.

Jim Costa, no Congresso norte-americano desde 2005, tem sido um forte opositor à dispensa da Base das Lajes pela Defesa norte-americana.

Face ao anúncio do Departamento de Defesa dos EUA em janeiro de 2015 da redução da presença norte-americana, Jim Costa considerou a decisão como “extremamente dececionante”.

O comunicado em inglês, de 08 de janeiro de 2015, terminava com uma promessa de Jim Costa: “Eu e os meus colegas no Portuguese Caucus vamos continuar os nossos esforços para manter a Base a operar ao seu nível atual e vamos fazer todos os possíveis para reforçar a relação entre Estados Unidos da América e Portugal, nosso amigo e aliado de longa data”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.