Banco de Desenvolvimento Económico com maior número de desembolsos

Banco de Desenvolvimento Económico com maior número de desembolsos

 

Lusa/AO Online   Economia   30 de Dez de 2009, 10:16

 O Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) registou em 2009 o maior volume de desembolsos de sua história, com liberações de 137,3 mil milhões de reais (55 mil milhões de euros), um crescimento de quase 50 por cento face aos desembolsos de 2008.

De acordo com um comunicado divulgado hoje pelo banco, o terceiro maior de fomento do mundo, se forem incluídos os repasses para operações de giro a bancos federais, o valor ascende a 139,7 mil milhões de reais (55,5 mil milhões de euros).

As liberações para o sector industrial responderam pela maior parte, atingindo 60,1 mil milhões de reais (2,38 mil milhões euros), uma alta de 54 por cento em relação ao ano passado.

Já os desembolsos para infra-estrutura totalizaram 46,5 mil milhões de reais (18,47 mil milhões de euros), um aumento de mais de 30 por cento em comparação com o ano anterior.

Estes dados divulgados hoje “ilustram o resultado excepcional obtido em um ano em que o BNDES foi um instrumento importante na estratégia do governo de combater os efeitos da crise financeira internacional sobre a economia brasileira”, informa o comunicado.

O BNDES destacou ainda que as medidas que tomou em coordenação com outros bancos públicos “ajudaram o país a superar a fase mais aguda da crise”.

Os sinais de saída da crise começaram a aparecer nos indicadores do BNDES a partir do terceiro trimestre deste ano, que culminou com desembolsos de mais de 20 mil milhões de reais (cerca de 8 mil milhões de euros) no mês de Dezembro.

Além do desembolso recorde de 2009, a demanda por investimentos deve “seguir forte nos próximos anos”, ressalta o comunicado do BNDES.

As aprovações chegaram a 158 mil milhões de reais (62,7 mil milhões de euros), o que representa expansão de 30 por cento em relação a 2008.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.