Artur Lima quer enfermeiro de família em todos os concelhos

Artur Lima quer enfermeiro de família em todos os concelhos

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Out de 2012, 15:01

O líder do CDS-PP nos Açores e candidato às eleições regionais de 14 de outubro, Artur Lima, prometeu esta quarta-feira implementar o enfermeiro de família em todos os concelhos da região, criticando o projeto do Governo Regional.

"Se o CDS for Governo vai implementar como deve ser a figura do enfermeiro de família em todos os concelhos da região, porque permite sobretudo uma aposta decisiva nos cuidados primários de saúde e nos cuidados de proximidade, que é isso que poupa dinheiro e torna sustentável o Sistema Regional de Saúde", afirmou aos jornalistas, à margem de uma reunião com a direção da Escola de Enfermagem de Angra do Heroísmo.

Artur Lima criticou o projeto de enfermeiro de família do Governo Regional, apoiado pela Ordem dos Enfermeiros, que "roeu a corda ao CDS", porque resolveu não apoiar a proposta que os centristas apresentaram na Assembleia Legislativa regional nesse sentido.

"O Governo cede ao lóbi médico, não quer enfermeiros nos cuidados primários de saúde e cede ao hospitalocentrismo", frisou, acrescentando que "o PSD também nunca se interessou sobre esta matéria".

O líder regional centrista recordou que apresentou na Assembleia um decreto legislativo regional "com conteúdo funcional, com áreas de atuação e com a previsão do número de enfermeiros", considerando que era "uma coisa devidamente estruturada para implementar seriamente no terreno".

O candidato centrista, que é cabeça de lista pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, defendeu que "tem que haver um acompanhamento continuado dos diabéticos e dos hipertensos, para evitar que eles recorram aos serviços centrais de saúde, como os hospitais", salientando que é preciso evitar que sejam internados, "porque irem ao hospital cinco dias dá para pagar o ordenado de um ou dois enfermeiros durante um mês".

Segundo Artur Lima, este projeto pode "contribuir decisivamente para aumentar a empregabilidade" dos enfermeiros formados na região, tendo em conta que haveria um para cada 300 famílias.

Numa das duas escolas de enfermagem do arquipélago, Artur Lima mostrou-se preocupado com a futura empregabilidade dos enfermeiros formados na região, considerando "curioso" que o executivo regional tenha aberto 40 vagas, "em vésperas de eleições". ´

O líder centrista defendeu ainda que o Governo deve assumir o pagamento de propinas a estudantes do ensino superior carenciados, o que representaria "uma miséria de 500 a 600 mil euros por ano", salientando que "há alunos com muita dificuldade em pagar propinas e a sua alimentação".

Sobre uma possível fusão das duas escolas de enfermagem do arquipélago, numa escola de saúde, Artur Lima disse que "era o pior erro que poderia acontecer à escola de enfermagem de Angra", salientando que é preciso "defender intransigentemente a tripolaridade da Universidade dos Açores".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.