António Costa vive no "país das maravilhas", diz Assunção Cristas

António Costa vive no "país das maravilhas", diz Assunção Cristas

 

Lusa/Ao online   Nacional   26 de Ago de 2018, 19:22

A presidente do CDS-PP acusou este domingo o primeiro-ministro de “viver no país das maravilhas” e afirmou que as medidas anunciadas por António Costa no âmbito do Orçamento do Estado para 2019 foram feitas a pensar em “nichos eleitorais”.

“O primeiro-ministro vive no país das maravilhas, não vive no país real”, disse Assunção Cristas, em declarações aos jornalistas antes de embarcar na procissão da Nossa Senhora dos Navegantes, em Cascais, referindo-se ao discurso do chefe do Governo, no sábado, na ‘reentre’ socialista, em Caminha.

Sublinhando que ouviu o discurso de António Costa com atenção, em que falou “em mil dias de governo, em mil maravilhas”, Assunção Cristas disse não ver “maravilhas” e criticou “a maior carga fiscal de sempre”, a falta de investimento público e as cativações”.

Sobre as medidas anunciadas pelo primeiro-ministro para o próximo Orçamento do Estado, entre as quais o alívio da carga fiscal para emigrantes que regressem ao país, Cristas considerou que as mesmas são eleitoralistas.

“Não vi nenhuma alternativa de futuro para o país, na verdade foram um conjunto de medidas a pensar em determinados nichos eleitorais”, disse a presidente dos democratas-cristãos.

Assunção Cristas falou ainda sobre a polémica em torno do comboio especial fretado pelo PS para a “Festa de Verão” do partido, que se realizou no sábado, em Caminha.

“Folguei em ver que o comboio do Partido Socialista chegou a tempo e horas porque infelizmente não é isso que acontece com milhares de portugueses que têm de andar de comboios e que os veem atrasados e suprimidos”.

“Seria bom que o primeiro-ministro começasse a andar mais em comboios para perceber a atual realidade”, acrescentou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.