Aníbal Pires promete avaliar anualmente o apoio ao governo

Aníbal Pires promete avaliar anualmente o apoio ao governo

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Out de 2012, 17:14

O coordenador regional do PCP/Açores, Aníbal Pires, afirmou esta quinta-feira que um eventual apoio parlamentar ao executivo açoriano será decidido todos os anos, assegurando que não troca a estabilidade governativa pela estabilidade social.

"A CDU está disponível para analisar anualmente o plano de investimentos e o orçamento e, sem servir de moleta a ninguém, contribuir para que haja estabilidade governativa", frisou Aníbal Pires, em declarações aos jornalistas durante uma ação de campanha no centro histórico de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

Aníbal Pires, que é o cabeça de lista da CDU em S. Miguel nas eleições regionais de domingo, assegurou que não está disposto a trocar "a estabilidade governativa pela estabilidade social e económica dos trabalhadores, das famílias e dos pequenos e médios empresários", salientando que "as maiorias absolutas são redutoras".

"O presidente do Governo Regional veio falar em estabilidade governativa, mas deve-se lembrar que o seu melhor governo foi exatamente num quadro em teve uma maioria relativa e dialogou com os partidos políticos com assento na Assembleia", afirmou, acrescentando que "nessa legislatura conseguiram-se aprovar medidas que ainda hoje têm efeito nos Açores".

No penúltimo dia de campanha eleitoral, Aníbal Pires salientou que tem recebido dos açorianos o "reconhecimento da importância que tem o facto de a CDU estar presente" na Assembleia Legislativa dos Açores, que deve ser "reforçada".

Aníbal Pires realizou também uma ação de campanha no Porto de S. Mateus, onde se comprometeu com a "desgovernamentalização do Fundopesca", mecanismo que se destina a compensar os pescadores pelos dias em que não podem sair para o mar devido ao mau tempo.

O candidato comunista considerou também ser "fundamental dignificar a profissão" de pescador, nomeadamente através da formação e da valorização do rendimento.

"Vamos propor na próxima legislatura, não só a criação de uma escola de pescas, mas também um quadro regional de contrato de trabalho para os pescadores", anunciou Aníbal Pires.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.