Açoriano Oriental
Europeias
AD defende formação para candidaturas a fundos europeus

O candidato açoriano da Aliança Democrática (AD) nas eleições europeias do próximo domingo, dia 9 de junho, Paulo do Nascimento Cabral, defendeu uma parceria com a Universidade dos Açores para o “desenvolvimento de uma formação avançada ao nível da gestão de projetos e candidaturas a fundos europeus”. 

AD defende formação para candidaturas a fundos europeus

Autor: Rui Jorge Cabral

Citado em nota de imprensa, Paulo do Nascimento Cabral,  que vai em sétimo lugar na lista nacional de candidatos da AD ao Parlamento Europeu, falava após reunir-se com a reitora da Universidade dos Açores, Susana Mira Leal.

Para Paulo do Nascimento Cabral, “há cada vez mais fundos na gestão direta da Comissão Europeia e estima-se que serão diminuídos os financiamentos de gestão aos Estados-membros, o que tem de ser compensado e a Universidade dos Açores tem ótimos quadros, ótimos técnicos que têm feito um trabalho excecional em programas como Horizonte Europa e Erasmus”.

E para o candidato açoriano da AD, a Universidade dos Açores “pode exercer um papel essencial junto do tecido empresarial e social através de candidaturas a estes financiamentos europeus”.

O candidato social-democrata afirmou ainda a propósito da reunião com a reitora da Universidade dos Açores “ter recebido também um encargo que passa pela revisão do próximo programa Erasmus, de modo a que haja uma discriminação positiva em relação aos estudantes que vêm para os Açores”.

Citado em nota de imprensa, Paulo do Nascimento Cabral recordou que a última eurodeputada do PSD/Açores no Parlamento Europeu (Sofia Ribeiro, atual secretária regional da Educação, Cultura e Desporto) “conseguiu uma majoração para a viagem, mas tendo em conta a subida ao nível dos custos de vida, como a habitação, importa proceder a uma atualização dos valores a atribuir”.

Paulo do Nascimento Cabral defendeu igualmente que “há a necessidade de prosseguir e aprofundar um trabalho no âmbito das políticas europeias vocacionadas para a investigação, inovação e ensino superior”, destacando “a importância da inovação numa Região como a dos Açores, uma das regiões onde há menos investimento e investigação da parte do setor privado, de acordo com os últimos dados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico)”.

Por isso, concluiu o candidato açoriano da AD ao Parlamento Europeu, “é fundamental termos um setor privado em associação com a nossa Universidade e com os nossos centros de investigação para promover aqui produtos de maior qualidade e maior diferenciação”.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados