Cultura

"Abelha Maia" já é centenária

"Abelha Maia" já é centenária

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   10 de Ago de 2012, 18:48

A personagem "Abelha Maia", figura da popular série televisiva de animação que estreou em Portugal em 1978 e que marcou uma geração, foi criada há 100 anos pelo escritor alemão Waldemar Bonsels.

O autor, originário da cidade de Hamburgo, escreveu o livro infantil “A Abelha Maia e as suas aventuras” para os filhos, tendo publicado a obra em setembro de 1912.

Até ao final da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o livro vendeu cerca de 90 mil exemplares.

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a obra tornou-se famosa entre os soldados alemães na frente de batalha e em 1954, dois anos depois da morte de Bonsels, alcança a marca de um milhão de exemplares vendidos.

No 60.º aniversário da morte de Bonsels, assinalado no passado dia 31 de julho, um grupo de intelectuais alemães analisou a vida e a obra do escritor.

“Bonsels apresentou no livro um inquietante eixo moral do amigo-inimigo”, afirmou o especialista em literatura Sven Hanuschek da Universidade Ludwig-Maximilian de Munique, citado pela imprensa internacional.

A personagem de Bonsels foi adaptada para televisão em 1976, numa co-produção do Japão, Alemanha e Áustria.

Segundo Josef Gohlen, o ‘pai’ da série televisiva, o objetivo foi criar uma abelha diferente daquela que surge no livro de Bonsels.

“Um pouco mais emancipada e antiautoritária”, afirmou Gohlen, recordando que “a abelha valente da obra de Bonsels não era muito popular nos anos 1960”, porque “o autor era acusado de cooperar com os nazis”.

A personagem, sempre acompanhada pelos amigos Willy (abelha) e Flip (gafanhoto), acabou por ser traduzida em mais de 40 idiomas e transformou-se numa estrela internacional até hoje recordada com nostalgia.

Para assinalar este aniversário, a televisão pública alemã ZDF vai produzir 78 novos episódios da “Abelha Maia” em três dimensões, que devem estar prontos em 2013.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.