A segunda vida de Lincoln no Santa Clara

A segunda vida de Lincoln no Santa Clara

 

Nuno Martins Neves   Futebol   30 de Ago de 2019, 09:24

O “diamante negro” de Scolari encara a vinda para os Açores como uma nova oportunidade de lançar a carreira num campeonato onde sempre quis jogar

Há quatro anos, Lincoln tinha o mundo a seus pés: contrato profissional assinado com o Grémio de Porto Alegre, depois de ter impressionado Luiz Felipe Scolari, que o chamou de “diamante negro”, num treino com os reservas; titular na seleção do Brasil no Campeonato Sul-Americano de Sub-17 e capitão do “escrete” no Mundial do mesmo escalão. Tido com uma das grandes promessas do futebol canarinho, os anos seguintes não foram da afirmação esperada do médio esquerdino. Depois de uma experiência na Turquia no ano passado, Lincoln chegou aos Açores com 20 anos. Com discurso pensado e maduro, o criativo quer dar o seu melhor para ajudar o Santa Clara, naquilo que assume, é uma segunda vida no futebol. 


Pode ler mais na edição desta sexta-feira, 30 agosto 2019, do jornal Açoriano Oriental



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.