45 mil portugueses em luta contra a pobreza

45 mil portugueses em luta contra a pobreza

 

Lusa/AO online   Nacional   16 de Out de 2007, 17:50

Cerca de 45 mil portugueses deverão aderir esta quarta-feira à iniciativa mundial "Levanta-te" contra a pobreza para assinalar o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, uma das metas traçadas pela ONU nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.
     A iniciativa, desenvolvida em Portugal pela Campanha Pobreza Zero, deverá registar-se um pouco por todo o país em escolas, empresas e associações entre as 2o:00 desta terça-feira e as 20:00 de quarta-feira (hora dos Açores)

    A poucas horas do início da acção, Portugal está próximo de atingir o objectivo proposto de conseguir este ano que 50 mil portugueses se levantem contra a pobreza.

    Uma em cada seis pessoas no mundo vive em condições de pobreza extrema, não tem acesso a medicamentos nem à educação básica, indicam dados internacionais.

    Em Portugal, um em cada cinco vive em situação de pobreza.

    Por outro lado, 12 por cento da população global - ou seja, o grupo dos 22 países mais ricos do mundo, em que se inclui Portugal - consome 80 por cento dos recursos naturais disponíveis.

    As inscrições para esta iniciativa começaram há cerca de três semanas e, segundo a organização, a perspectiva de adesão já ultrapassa os valores atingidos em 2006.

    Em 2006, 20 mil portugueses inscreveram-se na acção "Levanta-te contra a pobreza", contribuindo assim para o número mundial de 23,5 milhões de pessoas que aderiram a iniciativa.

    Estes milhões de vozes recordaram aos líderes mundiais que a cada dia que passa 50 mil pessoas morrem de pobreza extrema, que o fosso entre ricos e pobres é cada vez maior e que os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, assumidos pelos governos nas Nações Unidas de reduzir para metade a pobreza extrema até 2015, estão em risco.

    Este ano 45 mil portugueses já anunciaram a sua participação realizando mais de 2000 acções que em vários pontos do país.

    Mais de 60 escolas, desde o pré-escolar até ao ensino universitário, aderiram ao "Levanta-te contra a Pobreza", sendo as crianças e jovens convidados a vestir de branco.

    Na Alameda da Cidade Universitária os estudantes do ensino superior decidiram aderir à iniciativa mundial criando a acção "Desperta contra a Pobreza".

    O objectivo é reunir centenas de estudantes universitários numa cama gigante para que os participantes se "deitem juntos" e "despertem juntos contra a pobreza".

    Para participar nesta curta sesta, explicam os organizadores, os estudantes terão apenas de se dirigir à tenda da Associação PAR, situada ao cima da Alameda, para levantar o número de participante e uma almofada insuflável.

    Ainda na zona da Grande Lisboa, pela primeira vez uma vila inteira vai mobilizar-se.

    A vila de Caneças vai aderir à iniciativa mundial com a ajuda da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Caneças e da Banda da Sociedade Musical e Desportiva de Caneças. A partir das 20:00 (nos Açores) desta  terça-feira percorrerão as ruas da vila com o convite: ao passar da banda junte-se a nós.

    Os organizadores querem ter mil pessoas no Largo de Caneças para ajudar a bater o recorde do Guinness estabelecido em 2006.

    Ainda na zona de Lisboa, está prevista a realização às 16:30 (no Açores) do dia 17, em Telheiras, de uma "assobiadela contra a pobreza" assim como de um desfile com cordão humano desde a estação do metro até à esquadra da PSP onde será entregue um manifesto dirigido ao Governador Civil de Lisboa.

    No Porto, está programado um cordão humano na rotunda da Boavista às 20:00 (os Açores) de terça-feira (véspera do dia internacional) com um grupo de sem-abrigo e dos que diariamente cuidam deles nas ruas portuenses.

    Em Setúbal, um dos distritos com maior índice de desemprego, a escola secundária Romeu Correia vai também aderir à iniciativa.

    Mais a sul, em Olhão, o movimento estudantil da cidade vai realizar na noite de terça-feira um workshop de arte circense assim como largadas de balões.

    A Delta cafés é uma das empresas que decidiu aderir à campanha, contribuindo com a divulgação dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio nas suas saquetas de açúcar.

    No total são 20 saquetas para coleccionar e que ajudam a despertar a sociedade para o problema.

    Também a TMN se propôs a enviar a todos os seus clientes SMS de alerta para que participem na iniciativa.

    A campanha Pobreza Zero foi lançada pela OIKOS em 2005, ano de importantes acontecimentos, tais como a Cimeira da ONU do Milénio + 5, a reunião do G8 na Escócia, onde foram perdoadas dívidas de vários países pobres e a Cimeira da OMC, onde se discutiram também importantes questões do comércio internacional.

    Actualmente a campanha é desenvolvida com mais organizações: a Amnistia Internacional, os Médicos do Mundo e a Quercus.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.