Açoriano Oriental
Varandas classifica de “escumalha” sem lugar no Sporting autores de insultos nos Açores

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, reagiu esta segunda-feira ao episódio ocorrido na chegada dos ‘leões’ aos Açores, classificando os autores dos insultos à equipa como uma "escumalha que não tem mais lugar” no clube.

Varandas classifica de “escumalha” sem lugar no Sporting autores de insultos nos Açores

Autor: Lusa/AO online

"Bem sei que nesse país há muito medo chamar as coisas pelo nome, mas aqueles que fizeram aquilo são uma escumalha. Uma escumalha que não tem mais lugar no Sporting. Uma escumalha que só quer duas coisas: que o Sporting perca sempre e que o tempo volte para trás", afirmou Frederico Varandas, em declarações aos jornalistas, considerando o episódio como "grave" e "chocante".

Aquando da chegada dos ‘leões’ aos Açores, onde vão defrontar o Santa Clara para a I Liga de futebol, dezenas de adeptos aguardaram a chegada da equipa ao hotel, onde entoaram cânticos como “Alcochete Sempre” (numa alegada referência ao ataque à academia de Alcochete) e "suem a camisola".

O presidente ‘leonino’ afirmou que o ataque à academia de Alcochete "ainda está muito presente, quer no clube, quer nos atletas", referindo que "em todos os jogos isso afeta a equipa".

A 15 de maio de 2018, cerca de 40 adeptos invadiram a academia de Alcochete e agrediram vários membros do plantel e da equipa técnica da equipa de futebol do Sporting.

Varandas recordou que devido ao ataque à academia sportinguista o clube perdeu "cinco dos jogadores mais valiosos do plantel" e "dezenas e dezenas de milhões de euros".

"Este desastre desportivo e financeiro mataria muitos clubes no mundo, mataria muitos clubes e hoje ainda estamos frágeis e a reerguer-nos do que aconteceu nesse dia", apontou.

Referindo que intervenções em espaços públicos que "incentivam o ódio e a violência" são "crime público", Frederico Varandas assinalou que não é por um grupo de "cobardes" agir em grupo e encapuzado que pode estar "acima da lei".

O presidente do Sporting frisou que, apesar do problema da violência entre os adeptos de futebol ser um "problema da sociedade portuguesa", o clube a que presidente não terá receio a "enfrentar essa batalha sozinho".

"Se o Sporting tiver de enfrentar essa batalha sozinho, assim o fará e vai fazê-lo. Mas quer deixar uma garantia a todos os sócios do Sporting clube de Portugal: o Sporting jamais se ajoelhará a essa escumalha. Nunca mais, porque esse tempo não volta mais", considerou.

O Sporting está em Ponta Delgada, nos Açores, para jogar com Santa Clara, hoje, às 18:00, no estádio de São Miguel.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.