Açoriano Oriental
Covid-19
Um colégio encerrado e três escolas com turmas em confinamento na Região

Os Açores têm um colégio encerrado e turmas de três escolas em isolamento profilático, devido à pandemia de covid-19, e a Autoridade de Saúde Regional admite a possibilidade de as medidas abrangerem outros estabelecimentos de ensino.

Um colégio encerrado e três escolas com turmas em confinamento na Região

Autor: Lusa/AO Online

“Os contactos que foram identificados nas últimas horas, efetivamente, poderão levar à suspensão da atividade letiva noutros estabelecimentos de ensino ou mesmo até ao encerramento de alguns deles”, avançou, em declarações à Lusa, o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes.

Em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, foi encerrado um colégio e há duas escolas secundárias com turmas em isolamento, depois de terem sido detetados sete casos positivos relacionados com um restaurante do concelho, entre funcionários, contactos próximos e clientes.

Segundo Tiago Lopes, que é também diretor regional da Saúde dos Açores, no caso do colégio foi determinado o encerramento, tendo em conta a faixa etária das crianças.

“Ao contrário de outros estabelecimentos de ensino, não existe uso obrigatório de máscara. A probabilidade de contágio e de transmissão do novo coronavírus é muito maior. Para salvaguarda dos mesmos e de todos os contactos que possam ter, quer com os progenitores, quer com os avós, com todo o impacto que daí possa decorrer, em conjunto com a Autoridade de Saúde concelhia, foi determinado o encerramento do estabelecimento”, justificou.

Ainda não há data para a reabertura do colégio e, por enquanto, os alunos têm apenas indicação para ficarem em isolamento.

“Teremos de aguardar pelos resultados para aferir se há mais positivos e se depois eventualmente há aqui outro tipo de medidas a implementar, decorrentes das ligações ou correlações que possam existir desses casos positivos com outros elementos da comunidade escolar ou com o exterior da comunidade escolar ou, no caso contrário, se forem negativos, pelo menos mantermos sob vigilância e monitorização durante os próximos dias para despistar a eventual incubação do novo coronavírus”, avançou.

Também na sequência desta cadeia de transmissão local, o Hospital da Ilha Terceira decidiu cancelar temporariamente a atividade programada do bloco operatório e identificar todos os contactos próximos de um funcionário que teve resultado positivo no teste de despiste.

No concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, há também uma turma em isolamento, fruto de outra cadeia de transmissão local.

Segundo a Autoridade de Saúde Regional, existem atualmente identificadas 11 cadeias de transmissão nos Açores, uma na ilha do Pico, duas na ilha Terceira e oito na ilha de São Miguel, sendo as mais recentes destas duas últimas ilhas.

“As próximas horas e os próximos dias irão ser determinantes no aprofundamento do nosso conhecimento relativamente à situação epidemiológica na ilha Terceira e na ilha de São Miguel”, sublinhou Tiago Lopes.

Uma das cadeias de transmissão na ilha de São Miguel envolve um estabelecimento de diversão noturna, o que preocupa as autoridades de saúde, pelo facto de, por vezes, os seus frequentadores “procurarem omitir a sua presença”.

A Autoridade de Saúde Regional emitiu, por isso, um comunicado, apelando a que quem tenha frequentado o espaço ligue para a linha Saúde Açores, para que a sua identificação possa ser feita “de um modo mais discreto”.

“Perante essa dificuldade de identificação por parte da Autoridade de Saúde concelhia, corremos aqui um risco adicional”, admitiu Tiago Lopes.

Na quinta-feira foram detetados 15 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, 11 na ilha de São Miguel e quatro na ilha Terceira, sendo que apenas um foi detetado no rastreio realizado à chegada à região.

Os Açores têm atualmente 746 pessoas em vigilância ativa e, segundo o responsável da Autoridade de Saúde Regional, “várias centenas de pessoas”, contactos próximos de casos positivos, serão testadas nos próximos dias.

Tiago Lopes tinha já dito há cerca de duas semanas que o arquipélago estava a entrar numa “fase de viragem”, alertando para o agravamento da situação epidemiológica no país.

“A Região Autónoma dos Açores, apesar de ser a região do país com menos casos positivos ativos neste momento não está livre da covid-19, longe disso, portanto foi nesse sentido que foi feita essa chamada de atenção para o cumprimento, mais do que nunca, das orientações e recomendações que ao longo dos últimos meses têm vindo a ser emanadas”, reiterou hoje.

Desde o início do surto foram detetados nos Açores 422 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, tendo ocorrido 16 óbitos e 239 recuperações.

Atualmente, existem 102 casos positivos ativos, dos quais 78 em São Miguel, 15 na Terceira, quatro no Pico, dois no Faial, um na Graciosa, um em Santa Maria e um na ilha das Flores.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.