Tempestade Leslie deixa centenas de milhares às escuras

Tempestade Leslie deixa centenas de milhares às escuras

 

Lusa/Ao online   Nacional   14 de Out de 2018, 02:40

Centenas de milhares de habitações sem eletricidade, pessoas desalojadas, estradas cortadas, voos cancelados, danos na via pública e árvores caídas, são o resultado da passagem da passagem da tempestade Leslie, sobretudo nos distritos de Leiria, Coimbra e Lisboa.

Centenas de milhares de clientes a Norte do Tejo estão sem energia elétrica desde a noite de sábado devido aos danos causados pela tempestade tropical Leslie, disse à agência Lusa a EDP Distribuição, classificando a situação de “muito grave”.

Esta tempestade provocou ainda, na noite de sábado, cerca de 50 desalojados no parque de campismo de Água de Madeiros, em Alcobaça, no distrito de Leiria. Além disso, há ainda registo de desalojados nos concelhos da Marinha Grande, assim como na Figueira da Foz, um dos concelhos mais fustigado.

A tempestade Leslie originou, até às 00:20 de hoje, em Portugal Continental, 820 ocorrências, a maioria resultantes da queda de árvores e de estruturas, sobretudo nos distritos de Leiria, Coimbra e Lisboa, segundo a Proteção Civil.

O comandante Rui Laranjeira, da Autoridade Nacional de Proteção Civil disse que nas operações estão envolvidos mais de 2.800 operacionais, e que das 820 ocorrências, 506 dizem respeito a queda de árvores e 258 a queda de estruturas.

Leiria, Coimbra e Lisboa eram os distritos mais afetados pela força do vento até àquela hora. Também no Grande Porto se registaram quedas de árvores, telhas de casas destruídas pela força do vento e infiltrações de água.

O trânsito esteve temporariamente cortado no sábado à noite na autoestrada do Norte, no sentido Norte-Sul, perto da área de serviço do Pombal, devido à queda de uma árvore causada pelo vento forte. O IC2 esteve cortado ao trânsito nas zonas de Pombal, Leiria e Albergaria-a-Velha.

Na A17, que liga Leiria a Aveiro, várias árvores caíram ao longo desta via, o que “está a condicionar” a circulação, segundo a GNR.

Várias outras estradas estiveram cortadas ao trânsito em diversos concelhos, sobretudo no centro do país.

Cerca de 30 voos foram cancelados sábado à noite, nos aeroportos de Lisboa e do Funchal, segundo informação disponível no portal da ANA - Aeroportos de Portugal, a maioria devido à passagem da tempestade tropical Leslie.

Também as ligações entre as duas margens do Tejo foram afetadas por este fenómeno meteorológico.

No desporto também se fizeram sentir os efeitos desta tempestade, com a final do Campeonato da Europa feminino de hóquei em patins de 2018, entre Portugal e Espanha, a ser interrompida devido a uma falha no sistema de iluminação do Pavilhão Municipal da Mealhada.

A tempestade obrigou igualmente a alterações na organização das provas de atletismo da maratona e da meia maratona de Lisboa, que vão ter hoje as partidas atrasadas em uma hora.

Face às previsões existentes, o INEM ativou no sábado a sua Sala de Situação Nacional para acompanhar e articular com as restantes entidades de Proteção Civil os efeitos da passagem da tempestade.

Na Madeira, onde estavam inicialmente os maiores receios das autoridades, a tempestade passou ao início da tarde de sábado sem provocar grandes sobressaltos.

A Proteção Civil marcou um briefing de balanço para as 09:00 de hoje na sua sede, em Carnaxide, Oeiras.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.