Açoriano Oriental
Telemedicina generaliza-se até final do ano a todas as ilhas dos Açores
O Governo dos Açores estima que até final do ano o uso da telemedicina se generalize a todas as ilhas do arquipélago, permitindo aos doentes consultas regulares sem deslocações e a realização de alguns exames online.
Telemedicina generaliza-se até final do ano a todas as ilhas dos Açores

Autor: AO/Lusa

 

“No quarto trimestre deste ano já se passarão a fazer consultas regulares recorrendo à telemedicina entre as unidades de saúde [de ilha] e os hospitais da região, com a possibilidade da realização de alguns exames online”, disse à Lusa fonte oficial da Secretaria Regional da Saúde.

Esta possibilidade, segundo acrescentou, decorre da "introdução de uma aplicação informática” que já existia nos centros de saúde “e que agora foi implementada nos hospitais".

"Atualmente, já se realiza o processo de referenciação dos doentes para consultas de especialidade através deste sistema informático" entre o hospital da Horta, no Faial, e a Unidade de Saúde do Pico, nas áreas da cirurgia e medicina, referiu.

A referenciação visa confirmar a necessidade clínica de uma deslocação ao hospital da Horta ou outro para consultas ou exames.

A mesma fonte adiantou que o Governo Regional espera que a partir de julho esta referenciação já seja possível em todas as especialidades entre o Faial e o Pico, sendo depois alargada a todas as unidades de saúde e hospitais da região.

Atualmente, e segundo a tutela, o recurso à telemedicina "é feito de uma forma pontual" entre o hospital da Terceira e a Unidade de Saúde de São Jorge na especialidade de nefrologia e entre o hospital de Ponta Delgada e o de Coimbra na área da pediatria.

Nas outras ilhas, também se recorre "a formas de telemedicina", nomeadamente, "transmissão de exames de diagnóstico para avaliar a necessidade da realização das evacuações áreas", acrescentou.

O Centro de Saúde de Santa Cruz das Flores, no grupo ocidental do arquipélago, começou a recorrer em 2003 às novas tecnologias de comunicação para assegurar o acompanhamento “na hora” por especialistas das consultas e exames realizados no seu centro de saúde.

Segundo a Secretaria Regional da Saúde, "a telemedicina já se realizou de uma forma regular entre o Centro de Saúde de Santa Cruz das Flores e o hospital do Porto através de um protocolo existente", admitindo que para generalizar o recurso àquela tecnologia no arquipélago "foi necessário encontrar uma solução técnica adequada".

"Desde há muito que se tem desenvolvido esforços para o recurso à telemedicina de forma regular", nos Açores, garantiu a secretaria regional, sublinhando a utilidade do projeto num território descontínuo como os Açores e que permite a otimização dos recursos e evita deslocações dos doentes.

Na mais pequena ilha dos Açores, no Corvo, os habitantes estão expectantes em relação à implementação da telemedicina, tanto mais que só existe um médico de clínica geral na ilha.

“Uma vez que as ilhas das Flores e Corvo estão ligadas pelo cabo de fibra ótica está tudo em condições para começar a funcionar, mas não está a funcionar. A telemedicina será certamente uma mais-valia”, afirmou a presidente do Conselho de Ilha do Corvo, Ângela Valadão, à Lusa.

 

PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.