Sindicato lamenta recuo do presidente da Atlânticoline nos aumentos salariais

Sindicato lamenta recuo do presidente da Atlânticoline nos aumentos salariais

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Jul de 2018, 13:57

O Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante, Agências de Viagens, Transitários e Pesca (SIMAMEVIP) lamentou esta sexta-feira que o presidente do Conselho de Administração da Atlânticoline tenha dado o “dito pelo não dito” em relação aos aumentos salariais dos trabalhadores.

"A Atlânticoline negociou um acordo com os trabalhadores, em vésperas do início da greve, de 800 euros, o que é superior a qualquer um dos valores que estamos a discutir", recordou Clarimundo Batista, dirigente sindical, em conferência de imprensa, na Horta, lamentando que, "por indicação do gabinete jurídico da Atlânticoline", a empresa tenha dado "o dito pelo não dito".

"Afinal - interrogou-se - quem é que manda mais: é o presidente do Conselho de Administração da Atlânticoline ou é o gabinete jurídico?"

Em causa está um diferendo entre o SIMAMEVIP e a empresa pública de transporte marítimo de passageiros e viaturas na região, a propósito dos aumentos salariais exigidos pelos marinheiros da empresa, que já se arrasta há cerca de sete meses.

"Estes trabalhadores, cuja remuneração base mensal é de 690,10 euros, continuam a sua luta pela obtenção de um salário mais digno, reclamando, por isso, um aumento salarial da remuneração base de 99,90 euros, o que representa um aumento de 14,5%", explicou Clarimundo Batista.

Aquele dirigente sindical lamentou que o presidente da Atlânticoline, Carlos Faiais, tenha dito à comunicação social que os aumentos propostos pelo sindicato representavam um acréscimo "incomportável" de 900 mil euros por ano nas contas da empresa.

"Não entendemos a ironia, manifestada nas declarações públicas do presidente do Conselho de Administração da empresa, ao ridicularizar e tentar aniquilar a imagem de uma classe profissional que, tal como todas as outras, deve ser por todos respeitada e valorizada", insistiu.

Depois dos períodos de greve já cumpridos pelos marinheiros da Atlânticoline (que coincidiram com as festas do Espírito Santo e com a Semana Cultura das Velas), novos períodos de greve estão marcados, em julho e agosto, coincidindo com as Festas da Madalena (20 a 22 de julho), Cais Agosto (27 a 29 de julho), Senhor Bom Jesus (06 de agosto) e Semana do Mar (10 a 12 de agosto).



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.