Açoriano Oriental
Covid-19
Serviço Regional de Saúde com reforço de 95 milhões de euros

O presidente do Governo anunciou que o Serviço Regional de Saúde vai ser reforçado, este ano, em cerca de 95 milhões de euros, um “montante significativo” previsto na proposta de Orçamento Suplementar, destinado ao funcionamento das unidades de saúde da Região e ao plano de investimentos deste setor.

Serviço Regional de Saúde com reforço de 95 milhões de euros

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

“Ao nível da nossa proposta de Orçamento Suplementar, que será discutido pela Assembleia Legislativa em breve, há um reforço muito significativo do Serviço Regional de Saúde de cerca de 95 milhões de euros. Mais de 80 milhões destinam-se ao reforço do funcionamento do Serviço Regional de Saúde e mais de 14 milhões ao reforço do seu plano de investimentos”, afirmou Vasco Cordeiro, citado em nota.

O presidente do Governo falava após a reunião que manteve, por videoconferência, com os Conselhos de Administração das Unidades de Saúde de Ilha e dos três hospitais, destinada a analisar o processo de retoma da atividade, após a primeira fase de combate à pandemia da Covid-19 na Região.

Relativamente à telemedicina, que tem permitido um grande número de consultas na Região, o presidente do Governo anunciou um reforço de mais de um milhão de euros, no âmbito de um programa mais vasto de informatização do Serviço Regional de Saúde, que terá uma dotação total de mais de 3,5 milhões de euros.

“Está também previsto um reforço do Vale Saúde de 1,5 milhões de euros, que acresce à dotação inicial de cerca de 500 mil euros, passando para cerca de dois milhões de euros”, sublinhou Vasco Cordeiro.

Para o programa CIRURGE, de recuperação de cirurgias, o Presidente do Governo anunciou um reforço de cerca de 1,5 milhões de euros, ascendendo a um total de 2,4 milhões de euros.

Num ponto de situação à retoma da atividade nas unidades de saúde de ilha, o Presidente do Governo referiu que, ao nível das consultas médicas, verifica-se, nesta altura, que o seu número já está praticamente ao nível de 2019, em igual período.

Entre janeiro e junho de 2019 foram realizadas mais de 328 mil consultas médicas nas nove unidades de saúde de ilha e, entre janeiro e junho deste ano, já foram prestadas mais de 322 mil.

“A expetativa, fruto de um conjunto de medidas que têm sido tomadas pelos conselhos de administração, é que, no final deste ano, estaremos ao mesmo nível daquele que foi o número de consultas de 2019, ou seja, acima das 700 mil consultas”, disse Vasco Cordeiro, ao referir que, ao nível das consultas de especialidades não médicas, há ainda situações que merecem uma maior atenção.

“Ao nível dos cuidados de enfermagem, estamos a caminhar, progressivamente, para a equiparação este ano em relação a 2019, verificando-se, à data de hoje, uma diferença entre os 10 e 15 por cento, mas que estimamos que, até final do ano, seja possível reduzi-la ou mesmo elimina-la”, disse.

No que se refere aos três hospitais, o presidente do Governo adiantou que, em termos de listas de espera, de realização de cirurgias e de consultas, fruto das medidas implementadas, verifica-se também já uma recuperação progressiva desta atividade.

“A expetativa é que, no final de 2020, haja uma equiparação a 2019 e toda a perturbação que se sentiu durante estes cerca de três meses seja possível ser recuperada”, referiu.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.