Quedas de Galp e BPI pressionam PSI 20


 

Lusa / AO Online   Economia   6 de Dez de 2007, 18:03

A Euronext Lisboa fechou hoje em queda, com as congéneres europeias mistas, com o PSI 20 a cair 0,43 por cento, para 13.098,41 pontos, pressionado pela Galp Energia e BPI.
    Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 14 caíram, três desceram e igual número ficou inalterado, numa sessão de boa liquidez.

    Pela positiva destaque para REN, Mota-Engil e EDP, únicos títulos que encerraram em alta.

    Do lado negativo referência para Sonae Indústria, Galp Energia e PT Multimédia, e ainda para o BPI.

    As principais bolsas do “velho continente” encerraram mistas, pressionadas em baixa sobretudo por títulos de mineiras, construtores automóveis e empresas de telecomunicações, e em alta pelo sector bancário, depois de o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, ter reduzido as especulações de futuros cortes nas taxas de juro.

    Trichet, afirmou hoje ser "absolutamente fundamental" evitar qualquer efeito secundário das actuais pressões inflacionistas, sob pena de as taxas de juro terem de aumentar.

    "Vamos fazer tudo o que for necessário" para que não se materialize qualquer efeito secundário, advertiu hoje o presidente do BCE na conferência de imprensa que se seguiu ao anúncio da manutenção nos 4 por cento da taxa de referência da instituição.

    O Banco de Inglaterra cortou hoje as taxas de juro em 0,25 pontos percentuais.

    Entre as subidas mais acentuadas ficaram títulos como Royal Bank of Scotland, Société Générale, Fortis, HBOS, HSBC, BNP Paribas, ING e Barclays.

    Nas quedas de referir tecnológicas como Ericsson, Alcatel-Lucent e Philips, títulos de telecomunicações como France Telecom, Telefonica e Deutsche Telekom, mineiras como Rio Tinto e BHP Billiton e construtores automóveis como Daimler, Renault e Volkswagen.

    O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou em queda de 0,01 por cento, para 3.755,14 pontos, e o Euronext 100 encerrou a progredir 0,29 por cento, para 1.001,33 pontos.

    Hoje encerraram em alta as bolsas de Milão e Paris, a subir 0,07 e 0,26 por cento, respectivamente, enquanto a praça de Frankfurt recuou 0,05 por cento, a de Londres desceu 0,13 por cento e a de Madrid perdeu 0,67 por cento.

    Na Euronext Lisboa, a maioria dos títulos fechou em queda, incluindo dois dos três "pesos pesados".

    A Portugal Telecom fechou a perder 0,11 por cento para 9,25 euros e a PT Multimédia deslizou 1,4 por cento para 9,18 euros.

    A Brisa encerrou em queda de 0,69 por cento para 10,10 euros, tendo as desvalorizações sido lideradas pela Sonae Indústria com um recuo de 2,37 por cento para 7,41 euros.

    Ainda no universo Sonae, a casa-mãe deslizou 0,98 por cento para 2,03 euros e a Sonaecom ficou inalterada nos 3,85 euros.

    Na banca, BCP e BPI tiveram um dia negativo, encerrando com descidas de 0,33 e 1,26 por cento para 3,03 e 5,49 euros, respectivamente, e o BES ficou "em casa", a cotar a 15,90 euros.

    A Galp Energia perdeu 1,47 por cento para 14,77 euros, enquanto a EDP somou 0,22 por cento para 4,63 euros e a REN protagonizou o maior ganho da sessão ao subir 2,22 por cento para 3,68 euros.

    A Mota-Engil progrediu 1,29 por cento para 5,49 euros, no dia em que anunciou que o agrupamento em que participa ganhou o concurso para a construção e exploração de uma auto-estrada no México.

    Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 50 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 240,4 milhões de euros.

    Fora do PSI 20 referência para a Inapa, que progrediu 6,6 por cento para 1,13 euros, com 1,8 milhões de acções trocadas, recuperando após três dias consecutivos a acumular perdas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.