Açoriano Oriental
Açores/Eleições
PS abdica de campanha convencional e deixa cair comícios e arruadas

O coordenador da campanha do PS/Açores nas eleições legislativas regionais de outubro, Francisco César, declarou que o principal objetivo do partido é garantir a segurança das pessoas, ficando excluídos os jantares-comício e as arruadas.

PS abdica de campanha convencional e deixa cair comícios e arruadas

Autor: Lusa/AO Online

O dirigente socialista declarou à Lusa, à saída de um encontro com a Autoridade Regional de Saúde que visava abordar os procedimentos a adotar na campanha eleitoral, que o desafio é “concertar o dever e obrigação que os responsáveis políticos têm de transmitir o seu programa, ao mesmo tempo que garantem a segurança das pessoas com quem contactam”.

Para o socialista açoriano, face ao cenário de pandemia da covid-19, o partido “tem de ter a capacidade de se reinventar” através de uma aposta de comunicação nas redes sociais.

Os socialistas querem potenciar os meios tecnológicos disponíveis para promover uma comunicação “muita direta e direcionada para o cidadão”, apostando na interatividade, a par da aposta nos órgãos de comunicação social.

No contacto de rua, o PS/Açores vai “circunscrever-se a pequenos momentos”, a visitas com “regras muito claras”, através de pequenos grupos que vão “cumprir as normas de distanciamento social", com "a utilização permanente de máscara”, entre outras.

Francisco César refere que a campanha eleitoral “vai ser diferente, mais imaginativa e próxima dos cidadãos”, estando convicto de que se vai poupar financeiramente em relação a atos eleitorais anteriores.

Os açorianos vão ser chamados às urnas em outubro para elegerem a nova composição da Assembleia Legislativa Regional, num arquipélago em que o PS governa há 24 anos.

Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores e presidente do Governo Regional desde as legislativas regionais de 2012, após a saída de Carlos César, que esteve 16 anos no poder, apresenta-se de novo a votos para tentar um terceiro e último mandato como chefe do executivo.

Antes dos socialistas, os sociais-democratas governaram durante 20 anos a região.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu as eleições com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

As outras forças políticas representadas na Assembleia Legislativa foram o BE, com 3,6% (dois mandatos), a coligação PCP/PEV, com 2,6% (um), e o PPM, com 0,93% dos votos expressos (um).

No mais recente ato eleitoral, para as legislativas nacionais de 2019, estavam recenseados e aptos a votar nos Açores 228.975 eleitores.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.