Projeto “Agir para Prevenir” em todas as escolas do concelho de Ponta Delgada

Projeto “Agir para Prevenir” em todas as escolas do concelho de  Ponta Delgada

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   13 de Fev de 2019, 18:30

O projeto de monitorização de resíduos “Agir para Prevenir”, desenvolvido pela Câmara Municipal, está a ser aplicado em todas as escolas públicas e privadas do concelho de Ponta Delgada e surgiu da necessidade de identificar e potenciar as práticas de triagem/separação de resíduos urbanos dos estabelecimentos de ensino.

O objetivo é aumentar a preparação de resíduos para a reciclagem. A correta separação dos resíduos urbanos na fonte vai permitir a recuperação do valor dos resíduos produzidos, porque estes serão recolhidos por um serviço específico e encaminhados para o centro de triagem, evitando que tenham como destino final o aterro.


Segundo refere nota da autarquia, as escolas devem “contribuir ativamente para a valorização material dos resíduos urbanos que produzem e para o bom funcionamento do sistema de recolha de resíduos urbanos, devendo adotar comportamentos que facilitem e respeitem o correto encaminhamento dos resíduos para os equipamentos de recolha seletiva existentes nas suas instalações”.


Saliente-se que este projeto inclui três fases, nomeadamente, diagnóstico (dois meses), ação (sete meses) e avaliação (três meses), realizando-se sessões de sensibilização e verificações no terreno sobre a aplicação do mesmo.


No final, será atribuído um certificado de boas práticas de separação de resíduos, creditado pela Câmara Municipal de Ponta Delgada, às escolas que cumpram efetivamente a separação de resíduos.


O projeto como visa identificar e potenciar as práticas de triagem/separação de resíduos urbanos das escolas e para tal, será cedido às escolas equipamento para colocar os resíduos de forma separada, quando tal se justificar.


Serão realizadas “verificações no terreno, de forma aleatória e sem aviso prévio, para avaliar as reais práticas de separação de resíduos, com recurso a observação direta, aplicação de critérios de avaliação de desempenho e registo fotográfico. A atribuição do certificado terá em conta os resultados obtidos nos critérios de avaliação de desempenho”, adianta a nota.


Entre novembro e dezembro de 2018, foram realizadas em cada escola, reuniões preparatórias na presença dos membros diretivos das mesmas, com o objetivo de apresentar esse projeto, explicar a metodologia, fazer o levantamento de necessidades existentes, em termos de equipamentos e de formação ao pessoal não docente, e estabelecer quem acompanhará as visitas de verificação por parte da escola.


Assim, desde janeiro e até final de fevereiro, estão a decorrer sessões de sensibilização/informação na área de separação de resíduos urbanos, dirigidas ao pessoal não docente nas escolas.


Entre os meses de março e setembro de 2019, terão início as verificações aleatórias – uma vez por mês –, num total de sete por escola.


A fase de avaliação acontecerá de outubro a dezembro de 2019 e será feita com base nos dados recolhidos durante a ação.


O certificado de boas práticas será atribuído às escolas que obtenham 50% ou mais de ponderação nos critérios de avaliação de desempenho do projeto.


A ponderação positiva no projeto poderá ser incluída no programa Ecoescolas da Associação Bandeira Azul da Europa.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.