Portugal deixa escapar bronze ao perder com a Rússia

Portugal deixa escapar bronze ao perder com a Rússia

 

Lusa/AO   Outras modalidades   25 de Nov de 2007, 17:30

Portugal falhou hoje o pódio do campeonato da Europa de futsal, ao perder com a vice-campeã Rússia, por 3-2, em Gondomar, numa partida em que revelou pouca eficácia na concretização
Portugal marcou primeiro por Gonçalo, a Rússia virou o resultado com golos de Sirilo e Foukine, Leitão ainda empatou a quatro minutos do fim, mas Shayakhmetov sentenciou o jogo no mesmo minuto (3-2). 
O jogo começou com as equipas apostadas em chegar rapidamente ao golo e com Pedro Costa, aos quatro e cinco minutos, Konstantin Dushkevich, aos seis, e Cirilo, aos 11, a colocar à prova os reflexos dos guarda-redes João Benedito e Sergey Zuyev.
Aos 12 minutos, Israel ganhou posição e rematou ao poste esquerdo da baliza russa, enquanto Arnaldo Pereira, aos 13, viu também o seu remate em posição frontal desviado pelo guarda-redes Sergey Zuyev para a trave.
Depois destas duas "azaradas" ameaças, a selecção lusa chegou à vantagem por Gonçalo Alves, aos 15 minutos, na recarga de um primeiro remate de Arnaldo Pereira, que a defesa russa não conseguiu afastar.
A vantagem portuguesa durou apenas dois minutos, já que o brasileiro naturalizado Cirilo empatou, aos 17 minutos, a passe de Konstantin Maevskiy, no aproveitamento de uma perda de bola de Ricardinho.
A Rússia concretizou a reviravolta no marcador por Alexandre Foukine, aos 18 minutos, num lance em que o jogador russo conduziu a bola por entre a defesa portuguesa, ganhou espaço e rematou forte.
Na segunda parte, Portugal voltou a entrar bem e a criar situações de perigo para a baliza russa, as mais flagrantes das quais por Israel, aos 21 minutos, Arnaldo, aos 25, e Joel, aos 25 e 26.
A actuar em contra-ataque e a apostar no erro da selecção portuguesa, a Rússia criou perigo por Cirilo, aos 23 minutos, por Dushkevich, aos 24, e por Shayakhmetov - que seria considerado o homem do jogo -, aos 27. 
O golo do empate da selecção lusa, que já se adivinhava no pavilhão, surgiu por Leitão, aos 36 minutos, com um remate certeiro, após virar e ganhar posição, em situação frontal à baliza russa.
A perspectiva de grandes penalidades durou escassos segundos, já que a Rússia voltou à vantagem por Shayakhmetov, logo a seguir, com um pontapé colocado a explorar a ausência do guarda-redes da baliza.
Portugal, com Marcelinho a guarda-redes avançado, instalou-se nos últimos minutos na intermediária russa, criando várias oportunidades de golo, mas, até ao final do jogo, a bola não voltou a entrar em qualquer das balizas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.