PM ucraniano acusa Presidente de pretender impor estado de emergência


 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Nov de 2009, 10:18

A primeira-ministra da Ucrânia acusou esta quinta-feira o Presidente, Victor Iuschenko, de impedir as medidas de combate do governo contra a epidemia de gripe, esperando poder impor o estado de emergência no país e adiar as eleições presidenciais.
As declarações de Iúlia Timochenko foram proferidas depois de o parlamento ucraniano (Rada Suprema) não ter conseguido superar o veto presidencial de uma lei que prevê a concessão de mil milhões de hryvnia (cerca de 120 milhões de euros) para a luta contra a epidemia de gripe.

A lei obteve 231 votos a favor, mas o veto só poderia ser superado com 300 votos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.