Paulo Portas assume responsabilidade pelo "prejuízo" causado pelo "contexto nacional"

Paulo Portas assume responsabilidade pelo "prejuízo" causado pelo "contexto nacional"

 

Lusa/AO online   Regional   14 de Out de 2012, 22:21

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, reconheceu este domingoa derrota nas eleições regionais dos Açores e assumiu a "responsabilidade" pelo "prejuízo" causado pelo contexto nacional.

"Eu assumo a responsabilidade pelo prejuízo causado ao CDS/Açores do ponto de vista do contexto nacional", declarou Paulo Portas.

O presidente democrata-cristão manifestou-se "absolutamente convencido" de que, "tirando alguns efeitos específicos nalgumas ilhas em concreto, o trabalho do CDS/Açores, reconhecidamente positivo, foi prejudicado pelo contexto nacional".

"Peço aos militantes do CDS dos Açores que não responsabilizem quem não tem nisso responsabilidade", afirmou, numa alusão às estruturas regionais e ao seu líder, Artur Lima.

Paulo Portas afirmou querer deixar "absolutamente claro que o resultado para o CDS não foi bom".

"O CDS perdeu deputados, o CDS perdeu votos, e recuou na expressão regional mais equilibrada nas nove ilhas dos Açores. Como sabem, ajudei na campanha eleitoral e, por isso mesmo, não quero deixar de dizer ‘presente' na noite de uma derrota eleitoral", disse.

Portas disse ter a certeza de que, "como é timbre do CDS", os eleitos e dirigentes do CDS nos Açores continuarão a fazer aquilo que está na "essência" democrata-cristã.

"Quando subimos um degrau da escada não ganhamos arrogância, por isso, quando descemos um degrau da escada voltamos a erguer a cabeça, lutar e a procurar subi-lo. Tenho a certeza que é isso que acontecerá no CDS/Açores", declarou.

Questionado sobre a leitura nacional destas regionais e o reflexo eleitoral da presença do CDS-PP no Governo em futuros escrutínios, Paulo Portas respondeu que, "quer as instâncias regionais, quer as instâncias nacionais do partido, terão que fazer uma leitura destes resultados", que não quis antecipar.

O presidente democrata-cristão cumprimentou o "vencedor indiscutível" das eleições, o PS e Vasco Cordeiro, assim como o presidente regional cessante, Carlos César, recordando a relação institucional "correta" que mantiveram.

Portas deixou uma "palavra especial" aos candidatos e eleitos do CDS nos Açores e ao presidente da estrutura regional e ‘vice' do partido, Artur Lima.o

O CDS-PP perdeu dois deputados (passou de cinco para três), tendo conseguido 5,67 por cento dos votos (6.106 votos).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.