Açoriano Oriental
Europeias
Paulo Estevão propõe criação de selecções desportivas dos Açores
O candidato do PPM/Açores ao Parlamento Europeu, Paulo Estêvão, propôs esta terça-feira a criação de selecções desportivas açorianas, como forma de afirmar a região no mundo e de promover o acesso dos atletas do arquipélago à alta competição.

Autor: Lusa / AO Online
“Queremos reforçar os signos de identidade específica dos povo açoriano e afirmar de forma independente os Açores no mundo”, afirmou o candidato do PPM, acrescentando que a sua proposta também visa “reforçar o estatuto de autonomia político-administrativa”.

O candidato do PPM/Açores frisou, no entanto, que isto “não significa menor fidelidade política à nação portuguesa”.

Paulo Estêvão, que falava numa conferência de imprensa no Centro de Dia da Santa Casa da Misericórdia do Corvo, a mais pequena ilha açoriana, criticou os restantes partidos políticos por “olharem para a Europa com um complexo ultraperiférico de inferioridade”.

Nesse sentido, considerou que a criação de selecções desportivas açorianas pode dar a Portugal “outra projecção no espaço atlântico”, frisando que “o sucesso dos Açores será sempre o sucesso de um Portugal sem complexos centralistas, unido pela força da identidade comum”.

Relativamente aos Açores, a criação das selecções desportivas permitirá, segundo Paulo Estêvão, “a afirmação no espaço atlântico e na União Europeia”.

Para sustentar a proposta que hoje apresentou, o candidato do PPM/Açores ao Parlamento Europeu esclareceu que a inscrição das federações desportivas internacionais “não está exclusivamente reservada aos países independentes”, recordando que, no caso da FIFA, entre as 208 associações que a integram, mais de duas dezenas não são de países independentes.

“O mesmo cenário poderá ser encontrado nas diferentes federações desportivas internacionais e nos comités olímpicos internacionais”, acrescentou.

Nesse sentido, frisou que “as associações desportivas açorianas podem aderir às respectivas federações desportivas internacionais quando as federações desportivas nacionais o autorizem”.

Para Paulo Estêvão, um dos principais factores que estive na origem desta proposta foi a actual dimensão do desporto regional, com mais de 21 mil atletas federados em 41 modalidades, 46 associações desportivas e 240 clubes.

O problema é que, especialmente por razões geográficas e financeiras, a presença de atletas açorianos nas selecções nacionais “está longe” de reflectir esta realidade.

“A criação de selecções desportivas próprias proporcionará aos atletas açorianos o acesso a quadros competitivos de grande qualidade”, defendeu.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.