Parlamento Europeu condena governo birmanês


 

Lusa / AO online   Internacional   27 de Set de 2007, 12:45

O Parlamento Europeu aprovou quinta-feira com 563 votos a favor, três contra e quatro abstenções, uma resolução que condena o governo da Birmânia pela repressão violenta dos manifestantes que se opõe ao regime totalitário.

Os eurodeputados apelam ainda à comunidade internacional, "incluindo a China" para que prepare sanções económicas contra o regime de Rangum.

O reforço das sanções contra a Birmânia (actualmente denominada Myanmar) está já na agenda próximo Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros, presidido por Luís Amado, marcado para 16 de Outubro, no Luxemburgo.

As manifestações em Rangum, principal cidade da Birmânia, têm-se sucedido nos últimos dias, na maior demonstração de contestação ao regime, em duas décadas, depois de milhares de estudantes pro-democracia terem sido mortos em 1988 pela junta militar.

Em 1990 o Parlamento Europeu tinha concedido o prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento à líder da oposição e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, em prisão domiciliária nos últimos 18 anos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.