Paços de Ferreira vence Mafra e está perto de ser campeão da II Liga

Paços de Ferreira vence Mafra e está perto de ser campeão da II Liga

 

AO Online/ Lusa   Futebol   5 de Mai de 2019, 17:15

O Paços de Ferreira venceu este domingo em casa o Mafra, por 2-0, com um 'bis' de Elves Baldé, e ficou a uma vitória de se sagrar campeão da II Liga de futebol, após a 32.ª jornada.

O extremo luso-guineense emprestado pelo Sporting inaugurou o marcador aos 37 minutos, com um remate à entrada da área do Mafra, e voltou a marcar, aos 51, ao concluir, na pequena área, um bom trabalho coletivo do Paços, fixando o resultado final.

Na classificação, o Paços lidera com 70 pontos, mais quatro do que o Famalicão, as duas equipas já promovidas à I Liga, bastando-lhe uma vitória nos dois jogos que faltam para conquistar o campeonato, enquanto o Mafra mantém, provisoriamente, o 10.º lugar, com 40, ainda sem a permanência garantida.

A primeira parte foi equilibrada, nem sempre bem jogada e por vezes quezilenta, com o Mafra a não ter medo de ter a bola e a conseguir, na maior parte das vezes, condicionar o jogo pelos corredores dos pacenses.

Os locais tiveram mais bola e iniciativa, mas revelaram, de novo, alguns problemas no último passe, num período em que a bola andou quase sempre longe das duas balizas.

A exceção foi protagonizada por Flávio Silva, aos 17 minutos, mas uma má receção da bola do avançado, na área do Paços, isolado por Bruninho, deitou a perder um lance que podia ser muito perigoso, respondendo o Paços, com mais eficácia, aos 37, com o golo de Elves Baldé.

Marco Baixinho fez um lançamento longo para Baldé, na esquerda, o extremo pacense, num movimento em diagonal para o meio, tirou um adversário do caminho e rematou, levando a bola a desviar num adversário antes de entrar na baliza, num lance em que o guarda-redes João Godinho, mal batido, ficou a queixar-se do sol.

A segunda parte arrancou praticamente com o segundo golo de Baldé, aos 51, a concluir a melhor jogada coletiva do Paços, dificultando a reação do Mafra, um pouco mais firme após as entradas Gonçalo Abreu e João Paredes.

Os pupilos de Capucho, no entanto, falharam sempre na finalização, desperdiçando duas boas oportunidades para reentrarem na discussão do resultado, mas o Paços, mais em gestão, também podia ter marcado até ao final.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.